Modric diz que nem sempre ganha o melhor e foge do assunto arbitragem: 'Não vai mudar'

Eleito Bola de Ouro da Copa do Mundo, meio-campo diz que seleção da Croácia deve sentir orgulho.

- Foto: REUTERS/Dylan Martinez

Luka Modric vai deixar a Rússia com um troféu. Mas não exatamente o que mais desejava. Eleito Bola de Ouro da Copa do Mundo, o capitão da Croácia afirmou após a derrota para a França, na decisão da mundial, "que nem sempre o melhor ganha". A seleção foi derrotada por 4 a 2 neste domingo, em Moscou.

- Como jogamos hoje, como crescemos nesse mundial... saímos com a cabeça erguida. Não é fácil perder uma final. Nós demonstramos foco, mas nem sempre ganha o melhor. Por isso, o futebol é o melhor esporte do mundo. Quando se perde, não é fácil. Tentamos acertar. Temos que estar orgulhosos, sair de cabeça erguida. Demos tudo. Deixamos no campo tudo que pudemos - decretou o craque.

No foco após lances polêmicos nos dois primeiros gols da França, a arbitragem não foi tema discutido por Luka Modric. Embora não deixe de alfinetar levemente, o meio-campo croata se esquivou de criticar duramente o árbitro Néstor Pitana.

 - Não vi (o lance), mas me disseram que não foi (pênalti). E no primeiro gol não foi falta. Mas já está feito. Eu não gosto muito de falar de arbitragem porque não se pode mudar nada depois da partida - finalizou.

O vice-campeonato foi o melhor desempenho da Croácia na história das Copas do Mundo. O resultado supera a geração de Davor Suker, que ficou com o terceiro lugar na França, em 1998.