Economia encolhe 3,34% em maio após greve dos caminhoneiros, mostra BC

Paralisação interrompeu alta do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) apresentada em abril

Bloqueio da rodovia Régis Bittencourt, na altura da cidade de Embu das Artes (SP): greve dos caminhoneiros - Foto: Leonardo Benassatto/Reuters

economia brasileira não conseguiu manter o avanço registrado em abril e apresentou recuo devido à greve dos caminhoneiros, que prejudicou indústria, agropecuária e serviços e abalou a confiança de investidores e consumidores.

Em abril, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), indicador do Banco Central que funciona como uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto) apresentou aumento de 0,50%. Mas números divulgados nesta segunda (16), mostram que a atividade econômica caiu 3,34% em maio. Em relação a maio de 2017, o IBC-Br apresentou recuo de 2,90%.

O IBC-Br caiu de 138,01 para 133,40 pontos, pior resultado desde dezembro de 2016, quando o número ajustado foi de 132,87 pontos.

Expectativas

O impacto da greve dos caminhoneiros que aconteceu no fim de maio derrubou, ainda mais, as previsões para o PIB deste ano.

A expectativa do mercado, medida pelo relatório Focus do Banco Central, é de crescimento de 1,5% — metade dos 3% de alguns meses atrás. No governo, o cenário também é pessimista. O Ministério calcula 1,6% de aumento.

(Com Reuters)