Planos de saúde perdem 64,3 mil usuários em Mato Grosso do Sul

O aumento do desemprego e os reajustes no preço cobrado pelas operadoras levaram à perda de usuários.

Desemprego e os reajustes no preço cobrado pelas operadoras levaram à perda de usuários - - Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado

Os planos de saúde de Mato Grosso do Sul perderam, entre outubro do ano passado e maio deste ano, 64.314 beneficiários. Conforme a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), até aquele mês de 2017, 576.334 pessoas mantinham a assistência ativa. Já em maio, esse total caiu para 512.020. O aumento do desemprego e os reajustes no preço cobrado pelas operadoras levaram à perda de usuários. O resultado é um Sistema Único de Saúde (SUS) ainda mais sobrecarregado.

Conforme os números, que variam mês a mês, a maior queda de adesão aos planos de saúde foi verificada entre os meses de outubro e novembro de 2017, quando 65.784 beneficiários deixaram os planos ativos no Estado. A quantidade chegou a cair para 500.869 no mês de dezembro. Entre janeiro e maio deste ano, o número de adesões registrou um avanço, saindo de 506.901 para 512.020. 

Vale ressaltar que, entre janeiro e outubro do ano passado, a média de beneficiados manteve-se praticamente estável, entre 572 mil e 576 mil. 

Conforme os dados da ANS, cerca de 85% dos beneficiários sul-mato-grossenses aderem ao tipo de contratação coletiva, ou seja, aquela assinada entre uma operadora de planos de saúde e uma pessoa jurídica. Estes podem ser coletivos empresariais ou por adesão.