PT quer PCdoB e sugere Manuela como vice de Lula

Hipótese foi discutida durante encontro entre as presidentes dos dois partidos nesta quinta; prioridade petista, no entanto, segue sendo o PSB

O ex-presidente Lula, ao lado da presidenciável Manuela d' Avila (PCdoB), durante ato no Circo Voador, no Rio - Foto: Mauro Pimentel/AFP

Sob ameaça de ficar isolado na disputa presidencial, o PT acenou com a possibilidade de ter Manuela D’Ávila, pré-candidata do PCdoB à Presidência, como vice na sua chapa, que hoje o partido anuncia como tendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como candidato ao Planalto, apesar dele estar inelegível pelo atual entendimento da Lei da Ficha Limpa.

A hipótese foi discutida nesta quinta-feira, 19, durante reunião entre as presidentes nacionais do PT, Gleisi Hoffmann, e do PCdoB, Luciana Santos, em São Paulo. Gleisi excluiu o PR da lista de prioridades – até porque o partido entrou para o blocão e agora deve indicar Josué Gomes para vice de Geraldo Alckmin (PSDB) – e disse que ainda conversa com o PSB.

“Temos muita simpatia por este arranjo de ter Manuela na vice. Obviamente, isso não é decisão que se tome neste momento. Depende de uma discussão interna do PCdoB e também das discussões que o PT tem internamente e com outros partidos”, disse Gleisi, ao fim da reunião.

“Nós estamos conversando com o PSB e tínhamos também conversa com o PR. Não terminaram as tratativas, mas nossas prioridades são o PSB e o PCdoB”, afirmou.

A presidente do PCdoB, que por seu lado mantém negociações com o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, também demonstrou interesse na possibilidade de Manuela ser vice, mas afirmou que a reunião não foi conclusiva. “Isso é algo que a gente escuta e vê com bons olhos. Mas, enquanto essas coisas não se derem, mantemos a candidatura de Manuela. Nada foi definitivo”, disse Luciana.

Petistas saíram animados da reunião. Os partidos avançaram em entendimentos nos estados e na estratégia para a disputa na Câmara. Para dirigentes do PT, a decisão sobre a vaga de vice deve ser feita em uma reunião da executiva nacional, mas o mais provável é que a legenda aguarde o fim das tratativas com o PSB, partido com maior número de deputados e tempo de televisão, antes de “casar” com Manuela e o PCdoB.

Hipóteses

Hoje, o partido trabalha com três hipóteses para a vice, sendo que a primeira delas é entregar a vaga a um aliado, como os socialistas ou os comunistas. As outras duas são possibilidades diferentes de chapa pura: colocando algum dos nomes cotados para substituir Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad e o ex-governador Jaques Wagner, ou fugindo da pecha de “plano B”, como o ex-ministro Celso Amorim e a própria Gleisi.

A presidente do partido disse que o nome pode ser anunciado ainda na convenção, marcada para 4 de agosto. “Podemos já indicar o nome de vice. Não tem problema nenhum. Inclusive se prosperarem nossas conversas com alianças, porque temos reiterado que gostaríamos de ter um vice na composição partidária, ter outros partidos na nossa aliança e contar com uma indicação destes partidos”, afirmou.

(Com Estadão Conteúdo)