Sábado amanhece registrando 6°C em MS e máxima não deve passar de 24°C

Conforme o Inmet o dia será parcialmente nublado com névoa seca encobrindo o céu e baixa umidade do ar, chegando até 15% em algumas regiões.

Para quem achava que ele não voltaria, o frio “já deu as caras” na manhã deste sábado em Mato Grosso do Sul, que amanheceu registrando 6°C em algumas cidades. Ainda na noite de sexta-feira (20) uma forte ventania de 43 km/h derrubou rapidamente as temperaturas.

Conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) o dia será parcialmente nublado com névoa seca encobrindo o céu e baixa umidade do ar, chegando até 15% em algumas regiões.

Em Campo Grande, os moradores precisaram tirar, novamente, os casacos dos armários, pois amanheceu marcando 12°C. A previsão é que durante o dia os termômetros marquem a máxima de 25°C.

As cidades localizadas do sul de MS, como Ponta Porã, Amambai e Dourados, marcaram mínima de 6°C pela manhã e o prognóstico é que máxima não deve passar dos 23°C. A umidade relativa do ar nesses municípios será de 25%, fator considerado de risco pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

No Pantanal, nas cidades de Corumbá e Miranda, as mínimas foram de 13°C. Em Coxim e Rio Verde de Mato Grosso, no Norte de MS, as mínimas também foram de 6°C e durante o dia, máxima deve atingir 23°C.

Na área Leste do mapa, em Três Lagoas e Aparecida do Taboado, temperatura vai variar entre 15°C e 27°C durante todo o dia. Não previsão de chuva para nenhuma cidade de MS e tempo segue seco, aumentando a estiagem.

Estiagem

Campo Grande já está há 36 dias sem chuva e apenas municípios da fronteira com Bolívia e Paraguai tiveram pancadas de chuvas registradas de até dois milímetros. A expectativa é que julho termine com acumulados muito abaixo da média histórica. Em comparação aos últimos quatro anos, o período de estiagem não apresentou alterações significativas, conforme banco de dados da Semagro.

O Cemtec explica que a estiagem ocorre devido à intensificação do sistema de alta pressão que atua no Brasil Central e permanece até meados de setembro. “Esse sistema inibe as formações de chuva e reduz a umidade relativa do ar, que consequentemente favorece o aumento da incidência de queimadas e incêndios florestais, bem como aumento de doenças respiratórias”.

De acordo com o boletim técnico divulgado pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, uma frente fria chegará ao Estado dias 20 e 21 de julho que deixará o tempo nublado com diminuição nas temperaturas, porém sem expectativa de chuva em Mato Grosso do Sul, contribuindo para a baixa umidade do ar.

Baixa umidade do ar

Sem chuva, o tempo seguirá muito seco, com umidade relativa do ar chegando a 15%. Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), quando a umidade relativa do ar chega a essa porcentagem, os moradores devem entrar em estado de alerta para com a saúde.

Confira alguns cuidados para se tomar:

Observar as recomendações do estado de atenção;

Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;

Evitar aglomerações em ambientes fechados;

Usar soro fisiológico para os olhos e narinas;

Ingerir bastante água para hidratar;