100 livre da Seletiva Americana faz brasileiros salivarem

De olho no nosso Projeto de 4x100 livre para Tóquio.

- Foto: Reprodução

Não tem como, não há como negar. Ontem, ao final do primeiro dia da Seletiva Americana todo mundo queria saber os resultados, como tinha sido isso, como tinha sido aquilo, mas o que todo brasileiro queria mesmo era saber o resultado do tal 100 metros nado livre.

Os tempos, ausência de 47, o sexto lugar de Caeleb Dressel, para os brasileiros, nada foi maior do que isso. E a razão é simples, a gente acredita. O projeto do 4x100 metros nado livre do Brasil é algo real e segue firme e forte até Tóquio 2020.

Se fizermos uma comparação com o que se viu ontem, na final da prova do USA Nationals, com a final da prova do Troféu Brasil em abril, teríamos a seguinte soma:

USA

Blake Pieroni 48.08

Nathan Adrian 48.25

Townley Haas 48.30

Zachary Apple 48.34

Soma 3:12.97

Brasil

Gabriel Santos 47.98

Pedro Spajari 48.01

Marco Antonio Jr. 48.46

Marcelo Chierighini 48.48

Soma 3:12.93

Esta vantagem de quatro centésimos é animadora, mas não é definitiva. Aliás, se fizermos uma outra avaliação, contabilizando os melhores tempos da temporada vamos ter:

USA

Zachary Apple 48.06, eliminatória USA Nationals

Blake Pieroni 48.08, final USA Nationals

Tate Jackson 48.20, vencedor final B USA Nationals

Nathan Adrian 48.25, final USA Nationals

Soma 3:12.49

Brasil

Pedro Spajari 47.95, eliminatória Troféu Brasil

Gabriel Santos 47.98, final Troféu Brasil

Marco Antonio Jr. 48.46, final Troféu Brasil

Marcelo Chierighini 48.48, final Troféu Brasil

Soma 3:12.90

A diferença ainda é favorável a eles, e sem considerar o mau resultado de Caeleb Dressel na etapa de ontem. A verdade é que "estamos no jogo". Os americanos seguem como favoritos, mas o Brasil está nesta briga.