Zé Roberto comemora retorno de Fernanda Garay: "Jogadora completa"

Técnico da Seleção elogia ponteira campeã olímpica, que não atuava com a camisa do Brasil desde os Jogos do Rio de Janeiro, em 2016.

Fernanda Garay tem muita moral com o técnico Zé Roberto - Foto: Divulgação/CBV

Zé Roberto ganhou um reforço de peso na Seleção. Fernanda Garay voltou ao time brasileiro depois de não vestir a camisa amarelinha desde 2016, após os Jogos do Rio de Janeiro. A presença da atleta campeã olímpica e um dos destaques da última Superliga fortalece a equipe nacional que vai em busca de um inédito título no Mundial, que começa no final de setembro. Para o treinador do Brasil, a ponteira é acima da média e a falta dela era um problema.

— Ela é uma jogadora completa, uma jogadora boa em todos os fundamentos. Com a experiência que ela adquiriu em todos esses anos e também com o respeito que ela tem dos adversários, nosso time fica mais forte, mais para cima — analisou Zé Roberto.

— Uma jogadora do nível da Fernanda, com a experiência que ela tem, demora de 10 a 12 anos para você formar. Então ter que repor de um dia para o outro é muito complicado — completou.

O afastamento de Garay da Seleção foi motivado por razões pessoais. Ao bater a casa dos 30 anos de idade, a jogadora acreditou que estava no momento da vida em que deveria dar mais atenção à família. Próximo da ponteira, Zé Roberto teve diversas conversas com a atleta e sempre deixou as portas abertas para que um dia ela voltasse. O técnico conta que há três semanas teve papo com Garay que foi fundamental para convencê-la a voltar a atuar pela equipe brasileira.

— A gente conversou muitas vezes. Mas eu sempre pedi que ela mantivesse um pé dentro da Seleção, que não desse adeus em definitivo. Vestir a camisa do nosso país é muita coisa. Isso mexe com todos nós. Quem mexe, quem vibra, sente isso. E passado um tempo resolvi falar com ela, porque o não eu já tenho. Tomei coragem e liguei, falando que o time precisava dela — revela Zé Roberto Guimarães.

Fernanda Garay, no entanto, não é a única jogadora com história que está de volta ao time brasileiro. Além dela, Natália, Thaísa e Dani Lins são outras campeãs olímpicas que retornam à Seleção neste período de preparação para o Mundial. Com a equipe recheada de atletas de nome, Zé Roberto não espera que a ponteira chegue para resolver sozinha. Para o técnico, o importante é que ela esteja se sentindo à vontade dentro do elenco para poder agregar com suas qualidades.

— Ela não está vindo como salvadora da pátria, mas sim para compor e ajudar em um campeonato que não ganhamos ainda. A gente está muito feliz. Ela é uma força a mais, com toda a experiência que ela teve durante esses anos. A gente espera que ela possa somar a esse grupo que já tem uma energia. Sabemos da dificuldade que vamos encontrar no Mundial, mas a felicidade é plena de tê-la aqui. Quero que ela se sinta feliz — afirmou.

Antes do Mundial, que vai do dia 29 de setembro até 20 de outubro, no Japão, o Brasil terá quatro amistosos contra a equipe dos Estados Unidos, todos disputados em território nacional, no mês de agosto. Posteriormente, a Seleção embarca para a Suíça, para a disputa do Montreux Volley Masters, entre os dias quatro e nove de setembro.