Esposa tua não foge à luta: Moicano tem fiel escudeira em casa e no MMA

Priscila Van der Brooke, que começou a treinar após acompanhá-lo na academia, possui uma luta profissional na carreira e se espelha no peso-galo: "Ele é um grande exemplo".

Renato Moicano e Priscila Van der Brooke: unidos até na luta - Foto: Marcelo Barone

Reza a lenda que "por tás de todo homem há sempre uma grande mulher". No caso de Renato "Moicano" Carneiro, Priscila Van der Brooke está ao seu lado - há oito anos - ajudando na dieta, na preparação e no que o peso-galo do UFC, que luta neste sábado, no UFC 227, contra Cub Swanson, precisar. A parceria é tamanha que, depois de acompanhá-lo inúmeras vezes na academia, ela passou a treinar - e se tornou lutadora de MMA.

Moicano e Priscila se conheceram na oitava série, ainda na época da escola, em Brasília. Ele, no entanto, saiu do colégio e, naturalmente, se afastaram. O reencontro definitivo viria a acontecer já na faculdade, através da internet, em 2011, conforme o peso-galo conta, em entrevista ao Combate.

- Ela me mandou uma mensagem e tal, procurando, perguntando demais... Aí eu falei: "Está querendo (risos)". Nos reencontramos... Ela é uma menina à moda antiga. Quando começamos a ficar, ela falou que queria namorar. Eu passei dois meses viajando e pensando. Ela é séria, certinha. Depois que voltei da viagem, conversamos e começamos a namorar. Foi uma relação próxima, rápida. A gente se completou muito, tanto que com um ano de namoro moramos juntos na casa da minha mãe. Depois, alugamos um apartamento e estamos até hoje. Depois que casamos, mais para ela vir para os EUA. O primeiro visto dela foi negado, aí meu empresário falou: "Vai ter que casar com a menina (risos)". O que importa é a parceria, mas estamos casados no papel.

Priscila está em Los Angeles para acompanhar a luta do marido neste sábado. Ela explica que, quando assiste às lutas in loco, não fica nervosa, diferentemente de quando precisa se contentar em acompanhar pela TV.

- Eu costumo ficar tranquila, não gosto de ver pela televisão, porque você não acompanha o pré-luta, por mais que fale bastante pelo Whatsapp ou pelo Skype, não sente de verdade. Gosto de estar perto, ajudando, acompanhando. Quando eu assisto à luta da arena, parece que estou em um treino. Eu me sinto mais à vontade.

A tranquilidade de Priscila impressiona Renato Moicano, que brinca com a esposa durante a entrevista.

- Acho que ela gosta de me ver apanhando (risos). Estando perto e vendo que eu estou tranquilo, sendo a luta difícil ou não, ela se acalma. Eu sofro mais que ela.

E foi o que aconteceu quando Priscila estreou no MMA, em dezembro de 2017, com vitória por nocaute, no primeiro round, contra Laila Galvão, pelo Maximum Midway Fight 6, na Bahia. A brasiliense, que de tanto esperar Moicano treinar e dar aulas, decidiu experimentar as artes marciais, agora quer trilhar seu caminho no esporte - para "desespero" do lutador do UFC.

- Eu fico com o coração na mão, é muito ruim. Agora eu vejo o que os meus pais passam. Eu preferia que batessem em mim. Fiquei muito nervoso. No começo da luta, quando a menina deu o primeiro chute na perna dela e ela andou pra frente e deu um soco na menina, eu pensei: "Ela vai machucar essa menina". E passei a ficar com pena da garota. Não deu outra. Ela deu um knockdown e fez menção de continuar batendo, e eu fiquei gritando para parar (risos). O pessoal não entendeu nada, mas eu já tinha percebido a superioridade dela, principalmente entre iniciantes. Ali eu fiquei tranquilo, mas até entrar no ringue foi bem difícil - declarou o brasileiro, que colocou a faixa-azul de jiu-jítsu na cintura da esposa, ainda no cage.

Moicano relutou ao ver que Priscila havia tomado gosto pelas artes marciais mistas, porém, segundo a brasiliense, o lutador se orgulha ao vê-la evoluindo.

- Ele é um grande exemplo. Ele diz que não, mas fica todo bobo quando eu venço os campeonatos de jiu-jítsu, fica todo feliz, todo babão. É um tempo muito gostoso que a gente passa junto.

Em Los Angeles, será a vez de Priscila torcer do lado de fora do cage. Enquanto isso, no octóogono, o seu espelho como lutador estará em ação contra Cub Swanson.

- A inteligência é o maior ponto forte dele, a dedicação... É um garoto muito focado, muito esperto. O diferencial é a cabeça. Tem muito lutador bom, com armas, com físico muito bom, que não consegue traçar uma estratégia. Todas as valências dele são muito boas e, aliadas à cabeça, dá tudo muito certo.

O Combate transmite o UFC 227 ao vivo, na íntegra e com exclusividade a partir das 19h (de Brasília) no próximo sábado, direto de Los Angeles (EUA). O Combate.com transmite as duas primeiras lutas do card preliminar em vídeo, e acompanha o restante do evento em Tempo Real. Na sexta-feira, o site acompanha a pesagem matinal em Tempo Real a partir de 13h, e canal e site transmitem a pesagem cerimonial a partir de 20h.

UFC 227
4 de agosto de 2018, em Los Angeles (EUA)
CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília):
Peso-galo: TJ Dillashaw x Cody Garbrandt
Peso-mosca: Demetrious Johnson x Henry Cejudo
Peso-pena: Cub Swanson x Renato Moicano
Peso-mosca: Polyana Viana x JJ Aldrich
Peso-médio: Thiago Marreta x Kevin Holland
CARD PRELIMINAR (19h15, horário de Brasília):
Peso-galo: Pedro Munhoz x Brett Johns
Peso-galo: Ricky Simon x Montel Jackson
Peso-pena: Matt Sayles x Sheymon Moraes
Peso-mosca: Alex Perez x José Torres
Peso-galo: Ricardo Carcacinha x Kyung Ho Kang
Peso-palha: Danielle Taylor x Weili Zhang
Peso-pena: Marlon Vera x Wuliji Buren