Mesmo com perda de 29,3%, MS deve se manter como terceiro maior produtor de milho safrinha do país

No levantamento, a Conab destaca que as condições climáticas desfavoráveis deste ano causaram as perdas.

Agricultor mostra milho que não se desenvolveu por causa da falta de chuva em Mato Grosso do Sul nesta temporada - Foto: TV Morena/Reprodução

Mato Grosso do Sul deve ter uma perda de 29,3% na produção da segunda safra de milho, também conhecida como safrinha ou safra de inverno, do ciclo 2017/2018, com o volume caindo de 9,609 milhões de toneladas, da temporada anterior, para 6,794 milhões de toneladas, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (9), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Mesmo com a redução, a Conab aponta que o estado deverá manter neste ciclo a posição de terceiro maior produtor de milho segunda safra do país. Acima estão Mato Grosso, que deverá colher 26,201 milhões de toneladas e o Paraná, com 8,969 milhões de toneladas. Abaixo está Goiás, que deverá produzir neste ciclo 6,521 milhões de toneladas.

No levantamento, a Conab destaca que as condições climáticas desfavoráveis deste ano causaram perdas de tamanhos diferentes em cada região produtora do estado. No sudeste e leste, por exemplo, a redução chega a 30%, enquanto que no centro norte a aproximadamente 20% frente a temporada passada.

A companhia destaca que com precipitações abaixo da média histórica nos meses de maio e junho, quando havia uma alta demanda hídrica por parte dos milharais para o embonecamento e enchimento dos grãos, as lavouras acabaram sendo muito afetadas, ficando de um modo geral entre regulares e ruins, com espigas pequenas e grãos fora do padrão.

A exceção foram as áreas plantas mais cedo, que não foram afetadas pela estiagem e aquelas cultivadas em solos mais argilosos e em altitudes mais elevadas, que têm temperaturas mais amenas e onde as precipitações foram mais constantes.