Sidrolândia registra em julho 42 novos empregos, mas ritmo de contratações caíram

Sidrolândia registrou ampliação da oferta de empregos com carteira assinada pelo segundo mês consecutivo.

Casa do Trabalhador de Sidrolândia - Foto: Arquivo/Região News

Pelo segundo mês consecutivo, Sidrolândia registra ampliação da oferta de empregos com carteira, mas num ritmo menor na comparação com o período anterior. Em julho, conforme os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregado) do Ministério do Trabalho e Emprego, foram gerados 42 novos empregos, um número abaixo do verificado em junho, quando a economia, após três meses consecutivos de redução da oferta de emprego, gerou 66 novas oportunidades. 

Nos últimos dois meses (acumulado de junho e julho) foram 108 novas vagas, neutralizando a redução de 65 vagas registradas nos meses de fevereiro, março, abril e maio. Foram abertas 9 vagas de comerciário (salário de R$ 1.105,00 mais comissões), provavelmente reflexo da inauguração da filial da Magazine Luiza. 

Outro destaque foi a contratação de 6 funcionários para atuar como desossador (salário de R$ 1.259,00) e 10 de armazenista (R$ 1.239,00 de vencimento). A redução das demissões contribuiu para sustentar estes números positivos no mês passado no mercado do trabalho. Em junho, foram 230 dispensas, enquanto em julho, este número caiu para 212. Já as contratações caíram quase 15%, de 296 admissões para 254. 

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, foram abertas 64 vagas (1.958 contratações e 1.894 demissões), bem abaixo do desempenho de igual de 2017: 323 novos empregos, (2.040 contratados e 1.717 demissões). A indústria, por exemplo, que é o carro-chefe dos empregos formais, que em 2017, contribuiu com 202 novos empregos, neste ano, só abriu 29 novas vagas. 

Balanço estadual 

Mato Grosso do Sul encerrou o mês de julho com saldo de 788 novas vagas no mercado de trabalho formal. O número foi divulgado nesta quarta-feira (22) pelo Caged (Cadastro de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. 

Conforme o Caged, o Estado fechou o mês com 18.903 contratações e 18.115 demissões, uma variação de 0,15%. No acumulado do ano, o Estado apresenta saldo de 7.858 novas vagas (142.991 admissões e 135.133 contratações). 

Já no acumulado dos últimos 12 meses, o saldo ainda é negativo. São 1.403 vagas a menos. Neste período foram 232.232 contratações e 233.635 desligamentos, variação de -0,27%. 

Campo Grande fechou o mês com saldo de 309 vagas a mais no mercado formal. Em julho foram 7.652 contratações e 7.343 demissões (0,16%). O saldo acumulado do ano é de 2.161 vagas (56.070 admissões e 53.909 desligamentos). Já nos últimos 12 meses foram criadas 1.149 vagas de trabalho (92.328 admissões e 91.179 desligamentos). 

Segundo o Caged, o Brasil fechou o mês com a criação de 47.319 postos de trabalho. Ao todo, no mês foram abertas 1.219.187 vagas, enquanto o número de demissões foi de 1.171.868, revertendo o resultado negativo apurado em junho, quando foram fechados mais de 600 postos formais de trabalho. 

*Matéria atualizada às 09 horas.