Donald Trump anuncia viagens à Argentina e à Colômbia em novembro

A última parada será na Colômbia, onde vai discutir segurança, combate ao narcotráfico e assuntos regionais com o presidente Iván Duque Márquez.

A agenda do presidente americano, Donald Trump, para novembro, mês em que serão realizadas as eleições legislativas nos Estados Unidos, inclui viagens à Europa e à América Latina, mas deixa de lado compromissos na Ásia. 

O vice-presidente Mike Pence ficará encarregado de representar o republicano nas cúpulas da Associação das Nações do Sudeste Asiático e do Leste Asiático, ambas em Singapura, e em reuniões da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, na Papua-Nova Guiné. 

A decisão de evitar a região é tomada em meio à guerra comercial contra a China, cujas importações aos Estados Unidos foram sujeitas a sobretaxas bilionárias, e a pressões pela desnuclearização da Coreia do Norte. 

Segundo comunicado da Casa Branca, Pence "vai destacar a visão dos Estados Unidos sobre um Indo-Pacífico livre e aberto, baseada no respeito à soberania, ao estado de direito e aos princípios de trocas livres, justas e recíprocas." 

Não é a primeira vez que uma situação do tipo acontece no país americano. Em 2013, Barack Obama cancelou a participação em cúpulas na Indonésia e em Brunei. 

Paris será o primeiro destino internacional para o qual Trump viajará em novembro, onde participará da comemoração pelos cem anos do fim da Primeira Guerra. Ele passará também na Irlanda para "renovar os laços profundos e históricos entre as duas nações". 

No fim do mês, partirá para a cúpula do G20 em Buenos Aires, na Argentina, onde pretende falar a respeito de suas políticas econômicas pró-crescimento e se reunir com líderes mundiais de forma bilateral. 

A última parada será na Colômbia, onde vai discutir segurança, combate ao narcotráfico e assuntos regionais com o presidente Iván Duque Márquez.