CTG comemora Semana Farroupilha com palestras, apresentações artísticas e arroz tropeiro

À noite a programação será no CTG Campos do Vacaria, com palestra do escritor Cristiano da Silva Barbosa e jantar.

Comemorações terão apresentações artísticas - Foto: Paula Lúcia/Região News

O CTG Campos do Vacaria organizou uma programação especial nesta segunda-feira para marcar em Sidrolândia as comemorações da Semana Farroupilha. No período da tarde alunos de duas escolas municipais terão oportunidade de assistir palestras sobre a cultura tradicionalista gaúcha e apresentações de invernadas artísticas: as 13 horas na Escola Natália Moraes de Oliveira e as 15 horas na Escola Valério Carlos da Costa. 

Durante à noite a programação será no CTG Campos do Vacaria, com palestra do escritor Cristiano da Silva Barbosa e jantar. Antes disso, às 19 horas, acontece a cerimônia do acendimento da Chama Criola, tradição que teve origem há quase 70 anos e foi lançada com um gesto de improviso.  

Em 1947, um grupo de estudantes liderado por João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes capturou com um cabo de vassoura a chama da Pira da Pátria, no Parque Farroupilha, e a carregou pelas ruas de Porto Alegre. O gesto acendeu (literalmente) a autoestima e a tradição gaúchas em um período pós-guerra em que os Estados Unidos disseminavam sua cultura e seu modo de vida, enquanto o Brasil convivia com as marcas do Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-1945), que propagou a unidade nacional inibindo a valorização do regional. 

O palestrante 

Tradicionalismo Gaúcho e suas Manifestações” é o tema da palestra que será proferida hoje à noite no CTG por Cristiano da Silva Barbosa, tradicionalista, instrutor, avaliador, professor e escritor das seguintes obras; Tropeirismo Biriva, História, canto e dança; Bailar Gaúcho – Entre a Técnica e o Sentir; alsas e Valsados de Antigamente, com Toni Sidi Pereira; Nossas Lendas, de pai para filho.   

Jantar no CTG  

Cardápio - arroz Tropeiro ao custo de R$ 5.00, bebidas diversas 3 por R$ 10.00 

O que é a semana 

A Semana Farroupilha é um momento especial de culto às tradições gaúchas, transcendendo o próprio Movimento Tradicionalista Gaúcho. 

As comemorações da Revolução Farroupilha - o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais - relembra a Guerra dos Farrapos contra o Império, de 1835 a 1845. O Marco Inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835. Naquele dia, liderando homens armados, Gomes Jardim e Onofre Pires entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha. 

A data e o fato ficaram registrados na história dos sul-rio-grandenses como o início da Revolução Farroupilha. Nesse movimento revolucionário, que teve duração de cerca de dez anos e mostrava como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos, foi proclamada a República Rio-Grandense, instalando-se na cidade de Piratini a sua capital. 

As comemorações do Movimento Farroupilha, que até 1994 restringiam-se ao ponto facultativo nas repartições públicas estaduais e ao feriado municipal em algumas cidades do Interior, ganharam mais um incentivo a partir do ano 1995. Definida pela Constituição Estadual do Rio Grande do Sul com a data magna do Estado, o dia 20 de setembro passou a ser feriado. O decreto estadual 36.180/95, amparado na lei federal 9.093/95, de autoria do deputado federal Jarbas Lima (PPB/RS), especifica que "a data magna fixada em lei pelos estados federados é feriado civil".