Chuva e vento forte causam alagamentos, queda de árvore e morte em MS

De sábado para domingo, mais de 180 raios por hora caíram em toda região.

Todos os anos o Brasil é atingido por quase 80 milhões de raios - - Foto: Divulgação

O temporal que chegou no fim de semana em Mato Grosso do Sul causou estragos e até morte. O Estado também ficou em segundo lugar com o maior índice de incidência de raios do país, segundo o Núcleo de Monitoramento de Descargas Atmosféricas da Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais (Funcate). A Defesa Civil afirma que não há ainda motivo para preocupação, mas o sinal de alerta foi emitido pelos órgãos de meteorologia e os órgãos estão em atenção.

De sábado para domingo, mais de 180 raios por hora caíram em toda região. O Estado foi o mais atingido pelas chuvas mais intensas, com acumulados superiores a 110 milímetros na região sul. Em Aquidauana o Corpo de Bombeiros está monitorando o rio, que dá o nome a cidade. 

Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no município choveu 17,6 milímetros em apenas 24 horas. O suficiente para alagar ruas e três casas. “Choveu a madrugada inteira. Mas está tranquilo. As casas que alagaram não são próximas ao rio, são ruas mais baixas, com profundidade maior. Nada de alagamentos severos”, ressaltou o comandante da corporação, capitão Vinícius Barbosa Gonçalves. 

Segundo ele, o rio Aquidauana subiu 20 centímetros até a manhã de hoje e está sendo monitorando. “Está tudo sob controle. Para inundar tem que suber uns três metros. As casas só alagaram por falta de escoamento da água. Não precisou removê-la para abrigo”. 

MORTE

Em Itaquiraí um idoso morreu após a caixa d´água da residência cair em cima do cômodo em que dormia. Luiz Campos Neves, de 61 anos, estava dormindo na propriedade rural, quando a forte chuva e os ventos de até 100 quilômetros por hora fizeram com que o reservatório com capacidade para cinco mil litros de água caísse sobre ele.

No boletim de ocorrência, o acidente ocorreu por volta das 20 horas. A nora de Luiz acionou o filho que, chegando ao local, encontrou o pai sob os escombros, ainda vivo. A vítima chegou a conversar, reclamando de fortes dores. O homem foi encaminhado para o Hospital da Vida, em Dourados, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

Em Campo Grande também houve registro de dois alagamentos no início da madrugada. Uma casa na rua Ivo Biazoto, no Jardim Pênfigo, registrou excesso de água a ponto de acionar o Corpo de Bombeiros. Já na rua Cadênio, no bairro Coophafe, o problema foi o retorno do esgoto na residência edificada em local elevado. Também houve caso de queda de árvore no início desta manhã, na rua Alexandre Fleming, no bairro Vila Bandeirantes.