Com estoque quase zerado de O-, Hemosul enfrenta 'crise do sangue' há dois meses e pede doações em MS

Mesmo com campanhas, estoque oscila muito.

Doações de sangue estão em falta no Hemosul, em Campo Grande — - Foto: Rafael Zambe/TV Gazeta

O Centro de Hemotologia e Hemoterapia de Mato Grosso do Sul (Hemosul) faz um novo apelo, nesta segunda-feira (17), em Campo Grande, ao se deparar com apenas 6 bolsas de sangue O negativo e apenas 100 de sangue O positivo. Segundo a assessoria de imprensa do local, os estoques estão quase zerados e, mesmo com campanhas de doações, a "crise do sangue" já se estende por dois meses.

"Nós temos 6 bolsas de O negativo e precisa, de no mínimo, 40. No caso do O positivo, temos 100 e o necessário é de 240. Nós precisamos com urgência repor os estoques, já que a porcentagem é de quase zero de um e 30% de outro. Está chovendo, mas, mesmo assim fazemos um apelo para as pessoas virem até aqui e doarem", afirmou ao G1 a assessoria Mayra Franceschi.

Conforme Franceschi, mesmo com campanhas, o estoque oscila muito. "Melhora e depois abaixa novamente. Temos muitos pacientes internados nestes momentos com estas tipagens e precisamos muito de doações", finalizou.

O Hemosul fica na avenida Fernando Côrrea da Costa, n° 1304, região central da cidade. O telefone para mais informações é (67) 3312-1500.