Detran começa a parcelar dívidas no cartão a partir de segunda-feira

Dívidas com o órgão poderão ser parceladas em até 12 vezes.

Detran-MS começa a parcelas débitos em até 12 vezes na segunda-feira (1º); serviço estará disponível na sede do órgão na Capital. - Foto: Campo Grande News

O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) formalizou nesta terça-feira (25) o termo de cooperação técnica e permissionamento não oneroso com a empresa que ficará responsável pelo serviço de parcelamento de dívidas na sede do órgão, em Campo Grande. O serviço começa a ser oferecido na segunda-feira (1º).

O parcelamento será operado pela Pinpag (Esmeralda Serviços Digitais Ltda.). Representante da empresa, Domingos Sá Vasques informou que todas as dívidas poderão ser parceladas em até 12 vezes em um processo que poderá envolver até três cartões de crédito diferentes –se o processo for necessário para atingir o limite de cada cartão.

Uma cabine será implantada no corredor principal da sede do Detran –na MS-080, km 10, saída para Rochedo, em frente ao bairro José Abrão– para a prestação do serviço no horário de funcionamento do órgão (das 7h30 às 13h30). Em breve, a facilidade deve ser oferecida no resto do Estado.

“Depois de implantar o serviço na sede vamos estudar o espaço mais adequado para instalar uma cabine PinPag na agência Geraldo Garcia, no Pátio Central”, explicou Vasques. A intenção é oferecer 300 pontos de atendimento em todo o Mato Grosso do Sul.

Portaria – A portaria 149/2018 do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) prevê o credenciamento de empresas responsáveis pelo serviço a ser oferecido pelos Detrans nacionais. O processo, sem ônus, prevê parcerias técnico-operacionais visando o parcelamento de débitos relacionados aos veículos.

O diretor-presidente do Detran-MS, Roberto Hashioka Soler, pediu em 2 de agosto solicitação ao Denatran para viabilizar o serviço no Estado. O tema foi discutido pessoalmente, depois com o diretor-presidente do departamento nacional, Maurício José Alves Pereira, em Brasília, tendo como foco a possibilidade de permitir a circulação de veículos sem preocupação.

“É uma opção para aqueles que anseiam por quitar seus pagamentos, mas até então vinham adiando por não conseguir o valor integral”, destacou Hashioka.