Consumidores de MS buscam R$ 1,2 bilhão em empréstimos

Em março, de acordo com relatório do BC, foram registradas 325.107 contratações.

Relatório do BC informa que foram registradas 325.107 contratações - - Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Empréstimo sem consignação em folha somou 349.581 operações em Mato Grosso do Sul até o mês de junho, resultando em uma carteira ativa de R$ 1,25 bilhão. Os dados são do Sistema de Informações de Crédito (SFC) do Banco Central e mostram que, no intervalo de três meses, cresceu 7,53% o número de operações nessa modalidade no Estado.

Em março, de acordo com relatório do BC, foram registradas 325.107 contratações. Já o valor da carteira ativa desse tipo de empréstimo, até então de R$ 1,41 bilhão, apresentou aumento de 4,03% em MS no período comparado. 

De acordo com o economista Sérgio Bastos, esse comportamento pode ser resultado da necessidade que o consumidor tem de captar dinheiro, por causa do aumento de dívidas. “Estamos há três anos em um processo de crise, é uma crise longa, e aqueles que conseguem ‘pedalar’ para o mês seguinte pagam parte das dívidas e deixam o restante para liquidar mais adiante.

Porém quando você está com dívidas no cartão de crédito e no cheque especial, pode chegar a um ponto em que não consegue mais pagar. Com um juro mais baixo, o empréstimo tem como objetivo mudar o perfil da dívida e sair dos juros altos. A grande questão é que a pessoa pode fazer isso de uma forma salutar; não pode incorrer na criação de novas dívidas”, alerta. 

Quando vai fazer uma operação como essa, orienta o economista, o consumidor tem de fazer o compromisso de que pelos próximos seis meses ou um ano, por exemplo, não vai entrar no cheque especial, no limite do cartão de  crédito. “Tem de ter paciência e perseverança para liquidar a dívida que pagou com esse empréstimo antes de contrair novas dívidas”, ressaltou.