Tufão Trami atinge ilha de Okinawa, no Japão, e deixa feridos

Com ventos de até 216 km/h, tufão destruiu casas e deixou mais de 200 mil imóveis sem energia.

Homem caminha sob forte chuva e ventos provocados pela passagem do tufão Trami - Foto: Kyodo / via REUTERS

O tufão Trami, com ventos de até 216 km/h, devastou neste sábado (29) a ilha de Okinawa, sudoeste do Japão, e deixou pelo menos 17 feridos, antes de seguir para outras regiões do país.

Durante a forte tempestade, árvores caíram e bloquearam ruas na cidade de Naha. Várias casas foram danificadas. Ondas atingiram diques.

Quase 700 habitantes foram obrigados a buscar refúgio em abrigos e mais de 200 mil casas estavam sem energia elétrica, informou o canal público NHK. Os policiais tentavam retirar os destroços, apesar das intensas rajadas de vento.

Ao menos 386 voos foram cancelados, principalmente na região oeste do Japão. As ferrovias japonesas anunciaram a suspensão de todas as viagens na região de Osaka até domingo ao meio-dia.

"O balanço pode se tornar mais grave, pois estamos na metade do trabalho. A população de Okinawa está acostumada aos tufões, mas recomendamos que permaneçam vigilantes", afirmou Masatsune Miyazato, diretor da agência de gestão de desastres.

Avanço

De acordo com as previsões, Trami, o 24º tufão do ano na Ásia, seguirá em direção a Kyushu e Honshu, atravessando portanto o Japão do sudoeste para o nordeste.

O tufão provavelmente atingirá a ilha principal de Honshu no domingo (30) e as condições meteorológicas devem permanecer alteradas até segunda-feira (1º) em diversas regiões.

O tufão anterior, Jebi, matou mais de 10 pessoas no início de setembro na região oeste do arquipélago, além de ter provocado vários danos materiais. Ele provocou o fechamento do aeroporto de Osaka (Kansai International Airport), construído em uma ilha artificial, depois que suas pistas foram invadidas pela água.

Dois meses antes, chuvas torrenciais provocaram inundações sem precedentes e vários casos de deslizamento de terra, que mataram 220 pessoas.

Mais de 70% do território do Japão é formado por montanhas e colinas. Muitas casas são construídas em encostas íngremes ou em áreas inundáveis, ou seja, zonas de risco.

Além disso, muitas residências japonesas são construídas com madeira, especialmente as casas tradicionais nas zonas rurais.