Brancos, nulos e abstenções alcançam meio milhão dos eleitores de MS

Em Mato Grosso do Sul, não votaram em nenhum candidato 578 mil pessoas.

Fila em escola municipal do Aero Rancho no fim desta tarde. - Foto: Izabela Sanchez

Em Mato Grosso do Sul a porcentagem de brancos, nulos e abstenções já alcança 33,76% do eleitorado, maior do que a média nacional dos eleitores que não votam, que, até agora, alcança 29%. Em Mato Grosso do Sul, não votaram em nenhum candidato 578 mil pessoas.

O número de pessoas que não votam é maior do que nas últimas eleições para presidente, senadores e deputados federais e estaduais, quando brancos, nulos e abstenções alcançaram 373.191 eleitores, o que corresponde a 20,53%.

Biometria – Parte do eleitorado de Mato Grosso do Sul também ficou de fora das eleições por não ter atualizado o título pelo sistema de biometria. Este ano, primeira eleição com o sistema, o processo eleitoral ficou mais lento e as filas nos colégios eleitorais eram enormes.

Com 61.502 títulos de eleitor cassados, Mato Grosso do Sul é o 8º Estado no Brasil com maior número de cidadãos que não poderão votar nestas eleições. O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu manter o cancelamento pela Justiça Eleitoral de 3,4 milhões de documentos em 1.248 municípios por ausência na revisão cadastral, que abrange o cadastramento biométrico.

Por 7 votos a 2, o Supremo rejeito pedido apresentado pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro) para autorizar a votação destes eleitores irregulares. Dentre os argumentos, a legenda chegou a alegar que os 3,4 milhões que não se manifestariam nestas eleições correspondiam à soma do eleitorado de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso.