Homem morto a tiros pela Polícia Militar tinha extensa ficha criminal

Dentinho foi reconhecido e preso na semana passada suspeito do arrombamento de uma casa mas foi posto em liberdade

Dentinho tinha uma condenação por furto e arrombamento - Foto: Divulgação/PM

O auxiliar de serviços gerais, Luiz Carlos Braga, 40 anos, morto em confronto com a Polícia Militar ontem a noite (10) nos fundos do Bairro São Bento, perto do Córrego  Vacaria, há uma semana foi detido por populares após ser reconhecido como o responsável pelo arrombamento de uma casa na Rua Rui Barbosa. Da residência, ele levou um aparelho de TV, DVD, furadeira, uma coberta, além de toda a comida que havia na geladeira. Ele foi ouvido na delegacia e colocado em liberdade já que não houve flagrante.

Dentinho, como é conhecido, foi reconhecido por um vizinho do dono da casa, Renato Honorário, que com ajuda do amigo Ronaldo Florentino, segurou o suspeito até a chegada da Polícia. Com Dentinho, os policiais encontraram uma centrífuga, que provavelmente ele furtou de outra casa, além de um cachimbo usado para o consumo de crack. O filho do suspeito, indignado com a prisão ameaçou Renato.

Luiz Carlos tinha várias passagens pela polícia por furtos, algumas delas registradas há mais de seis anos, quando agia em parceria com o na época adolescente conhecido como “Di Menor”. Em dezembro de 2016 ele foi condenado pelo juiz Fernando Moreira Freias, a um ano e 9 meses de reclusão, em regime aberto, por ter agredido uma ex-namorada, Clenice da Silva Arruda e furtado os móveis dela.