Comercialização de carne bovina cresce 9% nos primeiros 9 meses do ano

Chile e Hong Kong são os países que mais compram o produto regional

Receita total foi de US$ 395,4 milhões no período de janeiro a setembro - - Foto: Correio do Estado

De janeiro a setembro, as vendas de carne bovina in natura de Mato Grosso do Sul, somaram 95,2 mil toneladas. O total representa um crescimento de quase 9%, em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 87,7 mil toneladas da matéria-prima. 

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (19), pela unidade técnica da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), que realiza um acompanhamento mensal do desempenho econômico do principal produto pecuário do Estado.

Na avaliação do diretor-secretário da instituição, Frederico Stella, a qualidade da carne produzida em Mato Grosso do Sul tem sido um fator relevante nas vendas do setor. 

“Percebemos que os principais países compradores da nossa matéria-prima têm elevado as negociações em 2018. Em um ano, os chilenos, nosso maior cliente, ampliaram as compras da carne bovina em quase 80%. Além disso, o dólar este ano está 14% mais valorizado e isso faz com que o nosso produto fique mais competitivo no mercado internacional”, observa.

MAIORES COMPRADORES

Os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) comprovam a análise do diretor da Famasul. No ranking dos destinos da carne bovina in natura de Mato Grosso do Sul, o Chile respondeu por 26,8% da receita, seguido por Hong Kong com 21,2% do faturamento com os embarques para o mercado externo no período de janeiro a setembro de 2018.   

A receita total atingiu US$ 395,4 milhões, com elevação de 6,1% frente aos US$ 372,6 milhões do janeiro a setembro de 2017. 

“Mais do que volume, vemos uma valorização nas vendas de carne bovina do nosso estado. Nos Países Baixos, por exemplo, que representam 2,98% das vendas de MS, o quilo é negociado a quase 9 dólares”, acrescenta Stella.