Ex-segurança de Rafaat foi executado com mais de R$ 240 mil na carteira

Vítima estava com R$ 240 mil em cheques e mais R$ 1,247,00 em dinheiro

Orlando foi morto próximo ao cruzamento com a Rua Amazonas. - Foto: Liniker Ribeiro

Orlando da Silva Fernandes, de 41 anos, o “Bomba”, levava na carteira R$ 240 mil em cheques e mais R$ 1,247,00 em dinheiro, quando foi fuzilado no início desta noite (26) no cruzamento da Rua Enramada com a Rua Amazonas, no Jardim Autonomista, em Campo Grande. "Bomba" era ex-segurança do narcotraficante Jorge Rafaat, executado em junho de 2016 em Pedro Juan Caballero. 

Há pouco, às 20h12, cerca de duas horas após o atentando peritos da Polícia Civil, concluíram os levantamentos periciais e o tráfego pela rua foi liberado. O local onde houve a execução fica a cerca de quatro quadras do Clube Estoril.

O caso deve ser investigado da DEH (Delegacia de Homicídios) da Capital, mas o delegado Marcio Shiro Obara, titular da unidade, preferiu não comentar o homicídio com a imprensa para não comprometer as investigações.

Equipes do Batalhão de Choque da Polícia Militar e Garras(Delegacia de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) também auxiliaram nos trabalhos. Informações preliminares são de que mais de 40 cartuchos de fuzil 566 foram encontrados no local pela polícia. “Bomba” foi atingido por vários dos disparos na cabeça, tórax e braços.

Os pistoleiros fugiram logo após a execução e incendiaram os veículos usados na ação em sentidos opostos da cidade - uma estrada vicinal no Jardim Seminário e no Rita Vieira. Os disparos também atingiram uma loja de noivas da rua, um Chevrolet Vectra e o pneu dianteiro direito de um Peugeot 207.

O motorista do Vectra estava dentro do veículo no momento dos disparos e sofreu ferimentos leves causados pelo estilhaço dos vidros. No outro veículo não haviam ocupantes e o motorista foi levado para prestar depoimento na delegacia.

Atentado – “Bomba” foi fuzilado próximo a uma barbearia da Rua Amazonas. Os dois veículos que teriam sido usados na execução, foram encontrados incendiados minutos depois do crime. O primeiro veículo, ainda não identificado, foi abandonado e incendiado em uma estrada vicinal atrás da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), no Jardim Seminário.

No local, equipes do Corpo de Bombeiros e também da Polícia Militar encontraram ainda várias munições espalhadas pelo chão. Na segunda ocorrência, o Corpo de Bombeiros foi chamado para apagar incêndio em um Hyundai Creta no Bairro Rita Vieira, com placa de Poá, município do estado de São Paulo, e que estava abandonado na Rua Martine de Moraes. Dentro, os militares encontraram um carregador de metralhadora, possivelmente usado no atentado.