Eleitor é preso em flagrante por ter feito o registro fotográfico do seu voto

O rapaz foi flagrado pela Polícia Militar por volta das 14h35 deste domingo por violar ou tentar o sigilo do voto.

O rapaz foi flagrado pela Polícia Militar por volta das 14h35 deste domingo por violar ou tentar o sigilo do voto. - Foto: Divulgação/PM

Um dos 11 eleitores presos em Mato Grosso do Sul durante o processo eleitoral, é eleitor de Sidrolândia, inscrito numa das seções que funcionou na Escola Municipal Olinda de Brito de Souza. O rapaz foi flagrado pela Polícia Militar por volta das 14h35 deste domingo por violar ou tentar o sigilo do voto.

De acordo com relato das testemunhas, ele usou seu celular para fotografar seu voto. Diante da denúncia, a PM recolheu o telefone e o levou para a delegacia onde ficou preso até às 17 horas, quando terminou a votação. O telefone foi encaminhado para perícia e o eleitor agora terá de comparecer à Justiça Eleitoral.

Conforme o balanço do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) em todo o Estado foram registradas 11 ocorrências diversas envolvendo eleitores, mesários e outros participantes do segundo turno das eleições. Uma mesária foi detida por abandonar os trabalhos e não retornar à seção eleitoral.

Além deste caso de Sidrolândia, outros quatro eleitores foram flagrados filmando a votação, o que configura violação ao sigilo do voto. Os casos ocorreram em Campo Grande, Bataguassu e Ribas do Rio Pardo.

Já em Maracaju, uma mesária foi detida por deixar os trabalhos para almoçar e não voltar à seção. Ela teria pego, sem autorização, o certificado de participação no segundo turno das eleições da mesa do presidente da seção.

Bonito foi a cidade com o maior número de incidentes: cinco. Um eleitor foi detido por crime de desobediência e quatro por ingerirem bebidas alcoólicas em local público –violando a resolução que trata da Lei Seca e veta o consumo de álcool nas ruas e estabelecimentos comerciais das 3h às 17h (com exceção de restaurantes e similares das 11h30 às 13h30).

Urnas – No total, 108 urnas eletrônicas apresentaram problemas no Estado durante o segundo turno das eleições, neste domingo (28). Deste total, metade (54) apenas demandaram ajustes para continuar funcionando, e o restante necessitou ser substituída.

Conforme a assessoria do TRE Corte, dentre as urnas que precisaram de ajustes, 14 estavam em Campo Grande. Os problemas envolveram ajustes de data e hora e trocas de impressora, bobina, tomadas ou baterias, solucionados com a equipe de apoio técnico do tribunal.

Também foram substituídas 54 urnas, 23 na Capital, o equivalente a 0,82% do total de 6.533 urnas usadas neste segundo turno. Os problemas envolveram visor e leitura biométrica com problema, desligamentos e erros de hardware. As urnas foram substituídas e a eleição prosseguiu.