Mulher é morta a facadas e corpo encontrado em terreno baldio

Moradores avistaram corpo caído atrás de carroceria de caminhão e acionaram equipe policial

Carroceria de caminhão abandonada em terreno onde corpo foi encontrado - (Foto: Paulo Francis)

Uma jovem de 25 anos foi encontrada morta, no fim da manhã desta segunda-feira (29), em um terreno baldio localizado na Rua Planatina, no bairro São Conrado, região sul de Campo Grande. A vítima, identificada como Renata de Freitas Garcia, foi encontrada caida atrás de uma carroceria de caminhão abandonada, com diversas perfurações provocadas por faca.

O corpo foi localizado por moradores, que entraram em contato com a polícia via Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança). Segundo o delegado Edemilson Roller, da 6ª Delegacia de Polícia Civil, as primeiras análises da perícia apontam que a vítima tenha sido morta na noite de ontem (29).

Ainda não é possível afirmar quantos ferimentos foram provocados, mas as perfurações atingiram o peito e pescoço da vítima. Ainda de acordo com o delegado, tudo indica que Renata tenha sido morto em outro ponto da região e sido arrastada pelo suspeito até o local.

O ex-marido da vítima foi ouvido pela equipe policial e, em depoimento, revelou ter se separado da mulher há cerca de três meses e que há dias não tinha contato com a mesma. Moradores da região relataram que a mulher - que era usuária de drogas - era conhecida na região.

A faca usada no crime foi encontrada a cerca de 1,5 metro do corpo. Manchas de sangue também podem ser vistas no local. O caso está sendo investigado e, até o momento, a polícia segue com duas linhas de investigação: que a vítima tenha sido assassinado devido à dívidas por droga ou vingança.

Ainda de acordo com a polícia, Renata tinha várias passagens. Na adolescência, chegou a ser apreendida por tráfico de drogas e levada para a Unei (Unidade Educacional de Internação), de onde fugiu por duas vezes. Após os 18 anos, foi presa em flagrante duas vezes por tentativa de homicídio, uma em 2016 e outra em 2017. O caso foi registrado como homicídio qualificado por motivo fútil.