Bandidos deixaram R$ 180 mil para trás após assalto em agência bancária

Os bandidos deixaram para trás a quantia de R$ 180 mil que foi devolvida ao banco.

- Foto: Reprodução

Após a explosão da agência do Banco do Brasil em Chapadão do Sul, distante a 335 quilômetros de Campo Grande, bandidos deixaram para trás a quantia de R$ 180 mil que foi devolvida ao banco pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros). 

Segundo informações do delegado Fábio Peró, durante perícia da agência bancária, foram encontrados três pacotes com dinheiro que estava embaixo do cofre explodido. Essa quantia foi deixada para trás pelos bandidos após a ação, que provavelmente não devem ter visto os pacotes. 

Ainda conforme informações do delegado, provavelmente os bandidos não viram esse dinheiro e acabaram deixando para trás. A quantia foi contada e totalizou R$180 mil. O valor foi devolvido para agência Bancária. 

O delegado disse ainda que bandidos teriam levado ao menos R$ 50 mil teria sido levado de uma das agências, enquanto de outra a quantia as informações são de que menos de R$ 500 mil foram levados. 

Assalto 

As agências bancárias ficam 250 metros de distância uma da outra e a primeira a ser a arrombada foi a do Banco do Brasil, em seguida a da Caixa Econômica Federal. Os bandidos ainda fecharam uma saída da cidade. 

Parte da quadrilha foi para frente do quartel da Polícia Militar e outra parte para o prédio da Policia Civil. Eles efetuaram disparos contra os prédios para impedir que os policiais saíssem do local. Informações são de que os caixas estavam cheios, já que nessa quarta (7) seria pagamento de quem trabalha em usinas e fazendas próximas. 

Novo Cangaço 

Ação dos bandidos que explodiram duas agências bancárias de Chapadão do Sul durante a madrugada do dia 7 deste mês é considerada por agentes da polícia como práticas de grupo denominado ‘o novo cangaço’. Característicos no modo de agir, o bando é conhecido por ter armamento pesado e estudar detalhadamente a logística de suas ações. 

O termo Novo Cangaço faz uma referência ao bando de Lampião, que aterrorizava o Nordeste e saqueava cidades no século 18. Segundo o delegado Fábio Peró, a diferença entre as ações é que, ao contrário dos criminosos que agiam no Nordeste, a quadrilha atira para o alto e não chega a fazer reféns. Com grande número de integrantes, o bando fecha a entrada e saída da cidade e atira para o alto para impedir a ação da polícia enquanto o restante da quadrilha saqueia comércios. No caso de Chapadão do Sul, quatro comércios foram alvos dos bandidos.