País investe R$ 1,3 bilhões no setor de petróleo e gás natural em 2018

Investimento deve aumentar para até R$ 5 bilhões com leilões, diz ANP.

O país deverá investir este ano mais de R$ 1,3 bilhão em pesquisa e desenvolvimento e inovação na área de petróleo e gás natural. As projeções foram feitas hoje (23), pelo presidente da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Décio Oddone, durante a cerimônia de entrega do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2018, no Palácio do Itamaraty, Centro do Rio.

Os contratos para exploração e produção de petróleo no pré-sal têm uma cláusula de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (P&DI). O presidente da ANP se mostrou otimista em relação aos investimentos em P&DI no futuro. Segundo Oddone, se todos os leilões previstos para os próximos anos forem efetuados, estes investimentos poderão saltar para a média anual de R$ 5 bilhões ou mais, entre 2025 e 2035.

Para que isto ocorra, no entanto, o diretor disse que o país precisa ter a responsabilidade de adotar um plano efetivo de inovação no Brasil. “E inovação efetiva. É aquela que você faz todo santo dia, incrementa, melhorando aos pouquinhos, em procedimentos, em regras, em administração em operação”, disse.

“A Petrobras e o Brasil só chegaram a uma posição de destaque no mar em operações em águas profundas, e que possibilitou que a gente chegasse ao nível que chegamos, e que nos levou ao pré-sal, porque um conjunto de profissionais da Petrobras começou, na década de 80, a adaptar para a nossa costa de forma operacional a tecnologia utilizada em outros lugares do mundo”.

Prêmio de Inovação Tecnológica

A solenidade de entrega do Prêmio de Inovação Tecnológica contou com a presença do Ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Nas cinco categorias do Prêmio, concorreram 102 projetos de universidades, empresas petrolíferas e empresas brasileiras. A avaliação dos vencedores foi feita com base nos critérios de originalidade, relevância, aplicabilidade e funcionalidade da tecnologia e, como critério de desempate, a produção científica e tecnológica.

O Prêmio ANP foi criado em 2014 e tem como objetivo reconhecer os resultados associados a projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que representem avanço tecnológica para o setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis, desenvolvidos no Brasil por instituições credenciadas, empresas brasileiras e empresas petrolíferas, com recursos da Cláusula de PD&I.

Durante a cerimônia, foi entregue ainda o Prêmio Personalidade Inovação do Ano 2018 e de Menção Honrosa – Personalidade Inovação Operacional do Ano 2018.

A primeira homenagem foi concedida ao professor doutor Kazuo Nishimoto, pela contribuição à pesquisa, ao desenvolvimento tecnológico e à inovação no setor energético brasileiro.

Titular da Universidade de São Paulo (USP), ele atualmente concentra suas atividades de pesquisa na integração de diferentes áreas de conhecimento da engenharia como principal coordenador do Tanque de Provas Numérico da USP, onde é coordenador geral.

Já o Prêmio de Menção Honrosa - Personalidade Inovação Operacional do Ano 2018 foi concedida a Virmondes Alves Pereira, engenheiro civil pela Universidade Federal de Uberlândia.