Após perseguição, contrabandista morre em troca de tiros com a PRF

A abordagem teve início quando os policiais tentaram parar duas carretas que seguiam em alta velocidade pela rodovia.

A identidade do motorista não foi divulgada. - Foto: JNE

O motorista de uma carreta bitrem, não identificado, morreu no hospital após ser perseguido e baleado em troca de tiros com a PRF (Polícia Rodoviária Federal) no final da tarde desta quarta-feira (28) na BR-262, em Aquidauana.

Conforme o órgão a vítima transportava cigarros contrabandeados do Paraguai, mas a quantia de produtos apreendida ainda não foi divulgada. Também não há informações sobre com quanto tiros ele foi atingido.

A abordagem teve início quando os policiais tentaram parar duas carretas que seguiam em alta velocidade pela rodovia. O motorista de uma delas parou pelo quilômetro 510, mas o outro desobedeceu as ordens e fugiu, dando início a perseguição.

Durante o trajeto, ainda conforme a PRF o motorista colocava os outros condutores em risco, seguindo por vezes na contramão e também forçando os outros veículos a seguirem pelo acostamento ou até mesmo pararem e saírem de pista.

Os policiais rodoviários chegaram a parear a viatura ao lado da carreta três vezes, ordenando que o homem parasse, mas foram ignorados. Na terceira tentativa, ele de dentro da cabine deu um disparo contra a viatura da PRF.

Diante do risco de um grave acidente, os agentes atiraram contra os pneus da carreta, o que obrigou o motorista a parar. No entanto, ao descer do veículo ele ainda efetuou vários disparos contra a equipe que revidou e o atingiu.

O condutor então foi levado pelos policiais ao Hospital Regional de Aquidauna, mas não resistiu.Nenhum dos policiais ficou ferido na ocorrência.