Danilo é homenageado pelo elenco e pela família antes da despedida do Corinthians

"Jogador que nunca jogar no Corinthians vai faltar alguma coisa para ele", disse o meia-atacante.

Danilo ganhou um quadro do Corinthians - Foto: Marcelo Braga

Após o treino da manhã, quando Jair Ventura esboçou a equipe que enfrenta o Grêmio no domingo, às 17h (de Brasília), na última rodada do Brasileirão, o elenco inteiro se reuniu no gramado para uma homenagem ao jogador de 39 anos, que se despede do clube neste fim de semana. 

Danilo recebeu uma foto ampliada de autoria de Daniel Augusto Jr, fotógrafo oficial do clube, clicada na vitória por 2 a 1 contra o Bahia, em Itaquera, quando marcou dois gols. 

Gerente de futebol, Alessandro Nunes agradeceu a Danilo pelo o que o atleta conquistou nas últimas nove temporadas no Corinthians. Os jogadores bateram palmas e assinaram o quadro com a foto. 

Em entrevista coletiva logo após o gesto do clube, Danilo falou sobre a despedida. Foram oito títulos pelo Corinthians, com 358 partidas e 35 gols. 

– Cheguei em 2010, e a gente olha para trás, não tinha CT, não tinha Arena, cheguei no início. Lembro do torcedor na final da Libertadores, todo mundo chorando na grade, é coisa de arrepiar. Jogador que nunca jogar no Corinthians vai faltar alguma coisa para ele – declarou Danilo. 

Durante a entrevista coletiva, o jogador foi surpreendido pela família, que posou para fotos com o jogador. Participaram do encontro a esposa Miriam Leite e os filhos Matheus, Davi e Lucas. 

Danilo disse que espera jogar em alto nível em 2019, numa equipe capaz de brigar por títulos. O primeiro time a sondá-lo foi o Vila Nova, de Goiás. 

– Aproveitar as férias, o ano foi pesado para mim, de dar a volta por cima, recuperar e estar 100% para brigar de igual para igual com todos. E vamos ver o que é melhor, vai ter coisa boa por vir, para quem sabe jogar e ser campeão ainda no ano que vem. E depois ver o que é melhor. Não queria trabalhar no futebol, mas ele precisa de jogadores com história. Estou motivado de, quando parar, regressar ao futebol. Quem sabe um auxiliar ou treinador, vou me preparar – projetou. 

Confira abaixo mais trechos da coletiva: 

Sobre a não renovação 

– Futebol é assim, tranquilo, minha vida segue. Com a lesão que eu tive, joguei menos. Hoje me sinto 100% recuperado, eu não poderia parar agora. O pensamento do clube era que eu continuasse, me ofereceram um cargo, pela amizade e pela história, mas minha vida continua, minha vida não pode parar, se eu paro agora depois me arrependo. Quero parar jogando. Hoje estou 100%, espero que no ano que vem as coisas sigam dando certo e a gente siga ganhando. 

Terá um cargo em 2020? 

– Tivemos uma conversa boa com Duilio, Alessandro, Andrés... As portas estão abertas, o futuro a Deus pertence. Espero que seja um até breve, se eu voltar seria um sonho, não sei o cargo. 

Gol mais especial pelo Corinthians 

– O gol contra o Santos que nos levou à final da Libertadores em 2012. Tive o privilégio de fazer o gol e depois fomos campeões. 

Ídolo do Corinthians? 

– Cada jogador tem sua história no clube, difícil falar. Mas minha história é muito bonita, não sei se posso falar que sou ídolo, saio com a sensação de dever cumprido. A história não passará, tem que ser campeão para ficar marcado. 

Mais ídolo do Corinthians ou do São Paulo? 

– Difícil falar, minha história foi feita no São Paulo também. Por onde passei foi assim, Goiás, Kashima Antlers. Olhar para trás e ver que Deus me abençoou muito. Deixo para a imprensa. Saio com a sensação de dever cumprido como foi no São Paulo, campeão de tudo.