Maconha é apreendida e batedores presos na BR-463

O motorista, de 33 anos, em sinais de nervosismo à abordagem.

- Foto: Reprodução

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na tarde desta quarta-feira, 28 de novembro, 273 kg de maconha e prendeu dois homens que faziam o serviço de batedor, em Ponta Porã. 

Durante fiscalizações na Unidade Operacional, no km 68 da BR-463, a equipe policial deu ordem de parada a um Fiat/Uno com placas de Várzea Grande (MT). O motorista, de 33 anos, em sinais de nervosismo à abordagem, não soube informar a origem do veículo e nem os motivos da viagem. 

Os policiais desconfiaram de uma atividade ilícita em andamento.  

Logo em seguida, foi abordado um VW/Gol com placas de Cuiabá (MT). O condutor, de 31 anos, também se apresentou com nervosismo exacerbado, dizendo que teria vindo de Cuiabá para fazer comprar no Paraguai, no entanto, com a alta da moeda americana, se viu desmotivado a adquirir qualquer item, mesmo após a viagem de mais de 1.000 km de distância.    

Enquanto os dois aguardavam na UOP, foi dada ordem de parada a outro VW/Gol com placas de Campo Grande, o motorista não respeitou à ordem e iniciou fuga.  

Foi feito acompanhamento tático, após realizar diversas ultrapassagens proibidas, colocando em risco os outros usuários da rodovia, o condutor adentrou uma propriedade rural descendo um barranco quando tentou abandonar o automóvel e fugir a pé, porém foi contido pelos agentes.  

Após identificado, o homem de 23 anos, confessou estar transportando grande quantidade de maconha. No carro foram encontrados 273 kg (duzentos e setenta e três) quilos da droga.  

O carro possuía os sinais de identificação adulterados e registro de roubo/furto em Cuiabá/MT na data de 29 de outubro. Também foi encontrado o contrato de compra e venda do Fiat/Uno e um celular com registros de comunicação entre os três envolvidos na ocorrência, confirmando o envolvimento dos suspeitos no crime.  

De acordo com os presos, o carro carregado foi pego no Paraguai e não informaram o destino da droga. No total, eles receberiam R$ 2.400 (dois mil e quatrocentos reais) pelo serviço.  

A ocorrência foi encaminhada para a Polícia Federal de Ponta Porã.