Oito meses após acidente, mecânico da Ferrari atropelado por Kimi volta ao trabalho

Francesco Cigarini fraturou tíbia e fíbula da perna direita durante pit stop do piloto finlandês.

- Foto: Reprodução/rede social

Atropelado por Kimi Raikkonen durante um pit stop do GP do Barein, no começo de abril, o mecânico da Ferrari, Francesco Cigarini, voltou ao trabalho quase oito meses após ao acidente. Na ocasião, o finlandês foi liberado para voltar à pista antes que o pit stop estivesse finalizado, e a roda traseira esquerda passou por cima da perna de Cigarini. Francesco usou uma rede social para anunciar o retorno. 

- De volta. Primeiro dia de escola terminado. Obrigado a todos e a minha família. É hora de pegar os oito últimos meses, compactar e colocar em um canto guardado. Hora de seguir adiante com vibrações positivas. 

Durante o segundo pit stop na corrida no Barein, a Ferrari equivocadamente liberou Raikkonen para voltar à pista por intermédio de uma luz verde, quando a roda traseira esquerda sequer havia sido retirada por alguma falha técnica na pistola pneumática. Kimi arrancou e passou por cima da perna de Cigarini , que participava da operação. O italiano sofreu fraturas na tíbia e fíbula da perna direita. De imediato, Cigarini foi atendido e levado para o hosptal BDF, onde, no mesmo dia, foi operado. 

Pelo incidente chocante envolvendo, a Ferrari foi multada em 50 mil euros (R$ 200 mil) pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) por "colocar um membro da equipe em perigo, causando lesão". Após o problema no pit stop, Raikkonen foi obrigado a abandonar a corrida porque o pneu que não saiu era de composto macio, enquanto os demais pneus trocados eram supermacios, e por regulamento os quatro pneus precisam ser do mesmo tipo. O Homem de Gelo desejou pronta recuperação ao mecânico.