Em duelo alucinante, Thiago Marreta demole Jimi Manuwa no segundo round no UFC 231

Brasileiro nocauteia número 7 do ranking dos meio-pesados e diz que chegou para ficar na categoria

Marreta acerta um chutaço em Manuwa — - Foto: Getty Images

A ideia de Thiago Marreta de se testar contra um peso-meio-pesado (até 93kg) mostrou-se um enorme acerto. Diante de Jimi Manuwa, número 7 da categoria, o brasileiro protagonizou combate eletrizante desde os primeiros movimentos e, aos 41s do segundo round, implodiu o gigante nigeriano com um direto de esquerda que o nocauteou, engatando o seu terceiro resultado positivo consecutivo.

- Vim mostrar que cheguei nos meio-pesados e cheguei para ficar. Eu vou ser campeão do UFC. Estava maravilhoso, já falei que gosto de fazer isso aqui em cima, trocar porrada, trocar soco e fazer meu adversário sentir dor - afirmou Marreta.

Manuwa segue o caminho inverso do atleta da Tatá Fight Team (TFT). O revés foi o terceiro consecutivo da carreira do nigeriano, que deve perder posições no ranking.

A luta

O começo foi avassalador. Thiago Marreta derrubou o rival duas vezes nos primeiros segundos com bombas certeiras no rosto do nigeriano. O brasileiro partiu para liquidar a fatura, mas Manuwa conseguiu agarrá-lo e pressionou contra a grade. Marreta ficou de pé e balançou o rival novamente com uma direita. Manuwa usou o clinche e, ao ter espaço, respondeu com bons golpes, mas o atleta da TFT voltou a assustar o rival com um chute alto seguido de queda. O nigeriano ficou de pé e balançou Marreta com uma canhota. Àquela altura, a torcida vibrava com cada ataque. Uma combinação de socos entrou no rosto de Manuwa, que resistiu bem e defendeu a queda. Nos segundos finais, Marreta se desequilibrou sozinho ao tentar um chute alto e terminou o assalto por baixo, mas sem sofrer muitos danos.

O ritmo incessante de golpes prosseguiu no início do segundo round. Manuwa tentou tomar a iniciativa, mas não encontrou o rival. Foi Marreta quem foi para cima e, desta vez, para liquidar a fatura. Ao encurralar o nigeriano, viu seu direto de esquerda colocar o oponente no chão sem condições de reagir. Vitória maiúscula de Thiago Marreta.

Dawodu domina Bochniak e vence nos pontos

Hakeem Dawodu venceu Kyle Bochniak por decisão dividida dos jurados (28-29, 30-27 e 30-27). O canadense, de 27 anos de idade, foi superior na trocação, nos dois primeiros assaltos, demonstrando um boxe alinhado e golpeando a linha de cintura do adversário. No terceiro assalto, Bochniak melhorou, mas não fez o suficiente para empatar o confronto, válido pelo peso-leve.

Dawodu, que estreou em março no Ultimate, emplacou a segunda vitória consecutiva na companhia, enquanto o irregular Bochniak amarga dois reveses seguidos.

RESULTADOS COMPLETOS:
CARD PRINCIPAL 
Max Holloway venceu Brian Ortega por nocaute técnico (interrupção médica) aos 5m do R4
Valentina Shevchenko venceu Joanna Jedrzejczyk por decisão unânime (triplo 49-46)
Gunnar Nelson venceu Alex Cowboy por finalização aos 4m17s do R2
Hakeem Dawodu venceu Kyle Bochniak por decisão dividida (28-29, 30-27 e 30-27)
Thiago Marreta venceu Jimi Manuwa por nocaute aos 41s do R2
CARD PRELIMINAR 
Nina Ansaroff venceu Claudia Gadelha por decisão unânime (triplo 29-28)
Gilbert Durinho venceu Olivier Aubin-Mercier por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)
Jessica Eye venceu Katlyn Chookagian por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Elias Theodorou venceu Eryk Anders por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Brad Katona venceu Matthew Lopez por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)
Dhiego Lima venceu Chad Laprise por nocaute a 1m37s do R1
Carlos Diego Ferreira venceu Kyle Nelson por nocaute técnico aos 1m23s do R2
Aleksandar Rakic venceu Devin Clark por nocaute técnico aos 4m05s do R1