Aprovada redução de imposto de renda para indústrias em MS

Considerada pauta bomba pela Fazenda, lei pode ser vetada.

- Foto: Chico Ribeiro

A aprovação na Câmara dos Deputados do projeto 10160/2018, que concede isenção de 75% para novas indústrias que se instalarem em Mato Grosso do Sul e para expansão das empresas existentes pode contribuir para mudar o perfil da atividade econômica do Estado, hoje centrada na agroindústria e no comércio. Essa é a avaliação do governador Reinaldo Azambuja, que ontem esteve em Brasília.

O texto original não beneficiava a região Centro-Oeste. A matéria aumentava o prazo da redução do imposto sobre a renda e adicionais para empresas instaladas nas áreas de atuação da Sudene (Nordeste) e da Sudam (Norte) de 2018 para 2023. Porém, em 2015, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) estendeu o benefício para o Centro-Oeste, quando o projeto tramitou no Senado. A parlamentar sul-mato-grossense fez um amplo movimento para convencer os colegas de que era fundamental incluir os estados do Centro-Oeste entre os beneficiários, especialmente o Mato Grosso do Sul.

“Esta medida é fundamental para fortalecer o crescimento econômico na região, ajudando, assim, a promover a geração de empregos diretos e indiretos. Como se tratam de novos empreendimentos, isso também vai significar aumento de arrecadação. São indústrias chegando, é o comércio aquecido, a melhoria da infraestrutura e da qualidade de vida da população. Hoje, a concorrência é desleal porque estados do Norte e Nordeste, além de Mato Grosso, já são beneficiados por esta isenção”, disse Simone.