De artilheiro a barbeiro, Richarlison conquista torcida do Everton e mira Copa América

Brasileiro representa o clube em ação de Natal e curte boa fase sob o comando de Marco Silva.

Richarlison se arrisca ao cortar o cabelo de jovem torcedor do Everton - Foto: Divulgação / Everton FC

A próxima grande meta é estar na lista de Tite para a Copa América. Mas enquanto a grande chance pela seleção brasileira não chega, Richarlison vai batalhando pela vaga com boas atuações pelo Everton. Os oito gols marcados até agora na Premier League renderam respeito dos adversários e conquistaram os torcedores do clube.

A popularidade do atacante de 21 anos é tão grande que, mesmo sem ainda dominar o inglês, ele foi o escolhido para protagonizar uma ação de Natal do clube. Bancou o barbeiro para deixar o jovem Dominic, de 14 anos, com o cabelo igual ao do ídolo. Uma surpresa que estreita ainda mais os laços do jogador com o lado azul de Liverpool.

Dominic teve um ano difícil. Perdeu o avô, Stuart, e teve que se afastar do irmão mais novo Kieran, que tem autismo severo e passou a morar numa instituição especializada. Selecionado pelo Everton, o sócio torcedor achou que o presente seria cortar o cabelo com Pete, barbeiro de jogadores como John Stones, Joe Hart e Wayne Rooney.

Quando chegou ao local, o menino ficou boquiaberto ao dar de cara com Richarlison. Ganhou um abraço do ídolo e retribuiu com a música que agora embala todos os jogos no Goodison Park:

“Ele é brasileiro, só custou 50 milhões 
Achamos que ele é brilhante, Richarlison!"

O atacante deu sua contribuição e passou a máquina na lateral da cabeça do menino. Disse que tinha experiência, que foi cabelereiro na base. Mas a missão ficou mesmo a cargo de Pete, que raspou os fios loiro do pequeno inglês para deixa-lo parecido com Richarlison.

- Meus amigos não vão acreditar quando eu contar – disse o menino.

Marco Silva e Tite agradecem

O ótimo início de Premier League do brasileiro rendeu o status de melhor transferência da janela de verão para a revista especializada Four Four Two. Em estudo divulgado pelo Cies Football Observatory, o atacante aparece como o quarto jogador no mundo que mais se valorizou desde o início da temporada, com valor de mercado saltando de € 45,3 milhões para € 76,3 milhões (R$ 341 milhões na cotação atual), um crescimento de € 31 milhões (quase R$ 140 milhões).

O reconhecimento é um atestado do crescimento do jogador, que disputa a segunda temporada no futebol inglês. No Everton, o brasileiro tem como técnico o português Marco Silva, que o comandou no Watford quando chegou à Inglaterra. Quando o treinador foi demitido, o brasileiro enfrentou um longo jejum. E agora, com a parceria restabelecida, convive de novo com a fartura de gols.

- Todos viram minha evolução. Acho que, no ano passado, eu dei uma caída sim no meio do ano porque não estava tão acostumado com a intensidade do jogo aqui ainda. Mas agora já peguei o ritmo, já estou acostumado, já estou também um pouco maduro. Estou muito bem no clube. O Marco Silva vem me dando muita moral também, junto com meus companheiros, então eu só tenho a evoluir.

Um dos jogos em que Richarlison balançou as redes foi contra o ex-clube. Depois da partida, no início de dezembro, o técnico Javi Gracia fez piada e disse que foi o primeiro gol que viu do atacante, lembrando o período de seca quando o brasileiro esteve sob sua batuta. Se o espanhol brinca com ironia, Tite é quem ri por último com a boa fase do brasileiro.

Destaque nos dois últimos jogos da seleção na temporada, os amistosos contra o Uruguai e Camarões – no qual marcou o gol da vitória por 1 a 0 -, Richarlison quer ser útil também em jogos oficiais. Quer manter o padrão goleador para ser um dos convocados para a Copa América de 2019, que será disputada no Brasil a partir de 14 de junho.

- Quando eu era criança eu tinha uma camisa do Brasil e o pessoal falava que ia virar tatuagem, porque eu não tirava. Estar na Seleção é um sonho realizado e quero realizar mais ainda conquistando título. O próximo objetivo que está na minha cabeça agora é a Copa América. Quero estar bem no meu clube para que o Tite possa me chamar.