Nuguette apoia amigo Jacaré em polêmica contra Spider: "Está na hora de renovar"

Peso-leve amazonense também cobrou mais lutas em 2019, revelou desejo de enfrentar Joe Lauzon ou Jim Miller.

Amigos de longa data, Nuguette e Jacaré também são companheiros de equipe - Foto: Rodrigo Malinverni

Os bastidores do UFC estão pegando fogo. Primeiro Ronaldo Jacaré afirmou que Anderson Silva não seria merecedor de disputar o cinturão dos pesos-médios do UFC - caso vença Israel Adesanya, no UFC 234 - por estar voltando de uma condenação por doping. Depois, o Spider respondeu ao relembrar a ajuda que deu ao capixaba na sua chegada à academia.

Agora parece que a polêmica ganhou novo capítulo e personagens. Companheiro de time e amigo pessoal de Jaca, o peso-leve Alan Nuguette escolheu um lado nessa "troca de farpas" brasileira. O amazonense disse que "Anderson já ficou muito tempo campeão".

- Como amigo e companheiro de trabalho, digo: "Está mais que na hora do Jacaré disputar o cinturão". O Anderson ficou muito tempo campeão, quase sete anos invicto. Foram 17 lutas consecutivas, 17 vitórias, 10 defesas. Está na hora de renovar. Dar oportunidades para novos caras surgirem. Mas é aquele ditado: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo." - disse Nuguette.

Depois de passar o ano todo de 2017 afastado do octógono, por conta de lesões, Nuguette disputou duas lutas na atual temporada, com uma vitória, sobre Damir Hadzovic, e uma derrota, diante de Scott Holtzman. Ele se diz "fominha" e cobra mais combates da organização para 2019.

- Vou ficar fominha. Eu quero lutar o máximo que eu conseguir. Falei até com o meu empresário (Walid Ismail) que dia 2 de janeiro estarei viajando para Las Vegas. Vou ficar três semanas no UFC PI para fazer avaliações. Final de fevereiro, começo de março ou abril, quero estar lutando. Mas é o UFC quem manda. A gente pede, fala a data que estará preparado, mas tem todo um estudo para saber em qual país ou evento vão me colocar. Estou preparado. Vamos com tudo! Começar o ano de 2019 com o pé direito - acrescentou.

No UFC desde 2013, Nuguette tem sete lutas pelo evento, sendo cinco vitórias e duas derrotas. Ele disse, no entanto, que colocaria o norte-americano Joe Lauzon no topo de suas pretensões de lutas. Mas mencionou o nome de Jim Miller, que perdeu para Charles do Bronx, e Donald Cerrone, que recentemente subiu para os meio-médios.

- Tem um cara que, se eles pudessem me oferecer, eu sempre quis lutar, que é o Joe Lauzon. Um cara que sempre foi top 5 e vejo que meu jogo se encaixa com o jogo dele. Se rolasse, acredito que iria ganhar, porque sei que tenho qualidade. Além dele, tinha o Cerrone, que subiu de categoria, e o Jim Miller. São esses três adversários que pretendo enfrentar no ano de 2019 - ilustrou.

O manauara também comentou sobre seu primeiro semestre morando nos Estados Unidos. Ele reside em Olando, Flórida, onde se juntou à Fusion X-Cel Performance, mesma academia que abriga Jacaré desde o final do ano passado, e conta com nomes como Mike Perry, o ex-UFC Alex Nicholson e o veterano Jorge Patino "Macaco".

- Minha mulher estava preocupada com a violência do Brasil e falou: "Vamos nos mudar". Então bora. Sou um cidadão norte-americano. Já pago impostos há cinco anos. Estou lá, a convite do Jacaré, o futuro campeão dos médios. Estou muito feliz, treinando, é uma estrutura monstra, estou vivendo uma vida que nunca vivi. Meus filhos estão estudando em uma boa escola, eu moro há 20 minutos de um parque maravilhoso, que é o Universal Studios. Está tudo perfeito - finalizou.