Ao menos 17 pessoas morrem durante eleição em Bangladesh

Violência marcou escolha do primeiro-ministro do país asiático.

A eleição foi marcada por acusações de fraude e violência neste domingo - Foto: Mohammad Ponir Hossain | Reuters

As eleições-gerais de Blangadesh, país do sul asiático, foram marcadas por acusações de fraude e violência e ao menos 17 pessoas morreram, neste domingo (30).

Segundo resultados preliminares, o partido da primeira-ministra de Bangladesh, Sheikh Hasina, apresenta vantagem sobre a oposição. Com isso, a vitória da Liga Awami, que dá o terceiro mandato consecutivo à Hasina, é esperada – mas a oposição liderada pelo Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP) rejeitou o resultado preliminar e pediu novas eleições.

Conforme informações da Folha de SP, o líder da aliança de oposição de Bangladesh chamou a eleição de “farsa”, exigindo que um novo processo seja realizado sob a autoridade de um “governo apartidário”.Ativistas do partido no poder e da oposição reclamaram de ataques a apoiadores e candidatos.

O líder da oposição, Kamal Hossain, disse que algumas horas após o término da votação, cerca de cem candidatos da aliança haviam se retirado suas candidaturas durante o dia. Ele disse que a aliança realizará uma reunião para decidir os próximos passos.

A agência de notícias Associated Press relatou ter recebido mais de 50 telefonemas de membros da oposição que se queixaram de intimidação e de serem forçados a votar diante de membros do partido governista dentro de cabines.

“O uso que Hasina faz do aparato estatal ajudou a garantir sua vitória eleitoral”, disse Sasha Riser-Kositsky, analista do Eurasia Group, com sede em Nova York.