Cowboys x Seahawks é o destaque da abertura dos playoffs da NFL

As duas equipes apostam em um jogo terrestre forte e uma boa defesa.

- Foto: Infoesporte

Chegou a hora da verdade! Neste sábado começam os playoffs da NFL, que definirão quem serão os dois times que se enfrentarão no dia 3 de fevereiro no Super Bowl LIII. E ao contrário dos últimos anos, na temporada 2018/2019 não tem jogo ruim com time "arrastado" à pós-temporada. Todas as 12 equipes possuem algum tipo de argumento para ter chance de levantar o troféu Lombardi.

No primeiro dia de bola oval voando na Liga em 2019 teremos dois jogos que prometem muita emoção. Primeiro, às 19h30, vamos ter um clássico divisional entre Houston Texans e Indianapolis Colts, um embate entre dois times com excelentes quarterbacks em Andrew Luck e Deshaun Watson e que se conhecem muito bem. O grande destaque, no entanto, é a partida das 23h, um confronto entre duas equipes com estilos bem parecidos: Dallas Cowboys e Seattle Seahawks.

Cowboys e Seahawks apostam na mesma fórmula para chegar ao Super Bowl

2018 foi o ano dos times com ataques poderosos, como New Orleans Saints, Los Angeles Rams e Kansas City Chiefs. Algumas equipes, no entanto, tentaram ir na contramão e duas delas vão se enfrentar neste sábado em Dallas: Dallas Cowboys e Seattle Seahawks. Ambas as franquias apostam em um jogo terrestre forte, controle de posse de bola e defesas dominantes. Os dois times se enfrentaram na temporada regular, partida que terminou com vitória dos Seahawks por 24 a 13, mas muito mudou desde esse confronto em 23 de setembro.

Troca polêmica colocou os Cowboys nos playoffs

Não existe um analista ou torcedor que elogiou o Dallas Cowboys quando a equipe deu uma escolha de primeira rodada para o Oakland Raiders e em troca recebeu o wide receiver Amari Cooper. Parecia muito caro na época por um jogador que vinha sendo uma decepção em Oakland, mas a chegada do WR abriu o ataque dos Cowboys e a equipe só perdeu dois de nove jogos desde a chegada dele.

Impacto de Amari Cooper

Estatística (por jogo)

Sem Cooper

Com Cooper

Pontos

20

22,1

Jardas totais

320

362,3

Jardas aéreas

183,1

250,6

Fonte: ProFootball Reference

Essa mudança fez o ataque do Dallas Cowboys deixar de ser um dos piores da NFL para ser apenas mediano. O grande destaque desse time é mesmo a defesa, uma das melhores da Liga. O grupo é liderado por um dos melhores trios de jogadores de front seven entre os 32 times: DeMarcus Lawrence, Leighton Vander Esch e Jaylon Smith. Os três são excelentes contra o jogo terrestre e passe, dificultando a vida de qualquer quarterback.

Ano de transição? Nada disso!

Não teve muita gente colocando o Seattle Seahawks como candidato aos playoffs antes da temporada começar. Com a saída de peças importantes como Richard Sherman, Michael Bennett, Kam Chancellor e Cliff Avril, a expectativa era de um ano de transição e uma possível saída de Pete Carroll após o término de 2018. Essa previsão parecia ir se confirmando no início da temporada regular, com duas derrotas para abrir o ano. Seria natural um sentimento de conformismo, mas não em Seattle.

A linha ofensiva, que começou o ano péssima como sempre, mudou da água para o vinho e isso impulsinou o retorno da velha identidade do Seattle Seahawks, o forte jogo terrestre. Nenhum time teve mais jardas pelo chão do que os Seahawks em 2018 e para isso não precisou de um running badalado de primeira rodada como Todd Gurley, Saquon Barkley ou Ezekiel Elliott. Quer dizer, Seattle até tem um corredor escolhido no primeiro round do último Draft (Rashad Penny), mas quem liderou mesmo foi Chris Carson (7ª rodada em 2017) e Mike Davis (free agent).

- Controle do relógio

Os dois times vão querer controlar o relógio usando o jogo terrestre, mas quem levará a melhor nesse quesito? O desempenho em terceiras descidas será vital para isso e nesse ponto a vantagem teoricamente vai para o Seattle Seahawks por ter Russell Wilson, um quarterback muito superior ao QB dos Cowboys, Dak Prescott.

- Amari Cooper x Secundária dos Seahawks

Apesar de ter encontrado nova vida em Dallas, nas últimas três semanas os times parecem ter achado uma forma de pará-lo, com o wide receiver não passando das 35 jardas e não marcando nenhum touchdown. Os Cowboys vão precisar do WR produzindo para vencer a partida e a secundária do Seattle Seahawks certamente estuda o que Giants, Bucs e Colts fizeram contra o jogador.

- Rod Marinelli x Brian Schottenheimer

As duas melhores unidades em campo no sábado à noite serão a defesa do Dallas Cowboys e o ataque do Seattle Seahawks. São dois times com estilos tão parecidos que quem conseguir surpreender o outro provavelmente sairá com a vitória. E essa inovação precisa vir dos responsáveis por esses lados da bola, o coordenador defensivo Rod Marinelli, dos Cowboys, e o ofensivo, Brian Schottenheimer, dos Seahawks.

Texans e Colts se enfrentam pela 3ª vez na temporada

A abertura dos playoffs será com uma rivalidade de divisão. Houston Texans e Indianapolis Colts farão a trilogia do confronto pela AFC Sul, com os dois times vencendo fora de casa durante a temporada regular. Dessa vez o jogo acontecerá em Houston, será que Colts vai conseguir a vitória como em 9 de dezembro? Ou pela primeira vez veremos o fator mandante em efeito nessa rivalidade em 2018/2019?

Ano de crescimento para Deshaun Watson

Depois de uma temporada fenomenal de estreia na NFL em 2017, Deshaun Watson teve a difícil missão de se recuperar de uma cirurgia no joelho e voltar para jogar atrás de uma das piores linhas ofensivas da Liga. O começo certamente foi complicado, mas o Watson que vimos em dezembro foi um quarterback totalmente recuperado da lesão e mais maduro.

Dá para confiar que Deshaun Watson fará sua mágica, a grande missão então será parar o ataque do Indianapolis Colts. JJ Watt e Jadeveon Clowney tem talento mais do que suficiente para atrapalhar Andrew Luck mesmo atrás da linha ofensiva que menos cedeu sacks na NFL em 2018. Caso Luck tenha tempo no pocket, ele poderá explorar a fraca secundária da equipe.

Andrew Luck definitivamente voltou

Qualquer dúvida que poderia haver sobre o retorno de Andrew Luck foi sanada em 2018. O quarterback voltou a jogar em alto nível após as seguidas lesões, talvez um pouco menos atlético, mas compensando na parte mental. Tão importante quanto ser saudável novamente, a melhora da linha ofensiva dos Colts foi um dos fatores determinantes para esse desempenho espetacular de Luck.

Da água para o vinho - a melhora do ataque dos Colts

 

2017

2018

Pontos (por jogo)

16,4

27,1

Jardas (por jogo)

284,6

386,2

Conversão de 3ª descida

38,2%

48,6%

Sacks permitidos

56

18

Fonte: ProFootballReference

Esse salto se deu pelo retorno de Andrew Luck, a melhora da linha ofensiva e também a mudança de treinador. Frank Reich, que comandou o ataque do Philadelphia Eagles campeão do Super Bowl na última temporada, assumiu o cargo de head coach e trouxe um excelente esquema ofensivo. O problema dos Colts é a falta de talento nas skill positions (running backs, wide receivers e tight ends). Se Watt e Clowney conseguirem pressionar Luck, Indianapolis tem apenas TY Hilton, que não está 100% por causa de uma lesão no tornozelo), para ajudar o quarterback e fazer jogadas.

- Linha ofensiva dos Colts x Linha defensiva dos Texans

Um dos maiores clichês do futebol americano é "para vencer o jogo é preciso vencer a batalha nas trincheiras". Todo mundo repete porque é verdade em todas as partidas, mas nesse confronto entre Houston Texans e Indianapolis Colts ganha uma importância ainda maior. Dos 18 sacks sofridos por Andrew Luck, 5 vieram das mãos de JJ Watt e Jadeveon Clowney. A dupla já mostrou a capacidade de ultrapassar a forte linha ofensiva dos Colts e precisará fazer ainda mais para o time vencer no sábado. Se Luck não for perturbado, as chances de Indianapolis vencer aumenta muito.

- DeAndre Hopkins x Secundária dos Colts

Nenhum wide receiver jogou melhor em 2019 do que DeAndre Hopkins. A capacidade de ele conseguir fazer recepções difíceis na lateral ou quando está bem marcado é desmoralizante para as defesas adversárias. Ninguém consegue parar Hopkins, mas se os Colts pelo menos limitarem o estrago já será um passo enorme rumo à vitória.

- T.Y. Hilton x seu próprio tornozelo

Esse confronto é entre T.Y. Hilton e o seu próprio corpo. O wide receiver jogou muito bem contra o Tennessee Titans mesmo dando claros sinais de não estar 100% fisicamente. O Houston Texans é um adversário muito mais difícil do que os Titans e se Hilton, disparado o melhor alvo para Andrew Luck, estiver limitado pela lesão no tornozelo vai ser muito difícil para os Colts saírem com a vitória.