Hernanes é apresentado e diz: 'O São Paulo é muito grande para ficar tanto tempo sem títulos'

Profeta diz trazer inconformidade com "espera absurda de tempo por conquistas".

- Foto: Leandro Canônico

Hernanes vestiu a camisa 15 do São Paulo. Apresentado nesta segunda-feira, em Orlando, nos Estados Unidos, onde o Tricolor faz sua pré-temporada, o ídolo disse estar muito feliz e motivado pela volta.

Com sede de buscar títulos, Hernanes se mostrou inconformado pelo jejum de taças do São Paulo. O time não é campeão desde 2012, quando levantou a Sul-Americana.

– Com certeza darei a minha parcela de contribuição, pois vencer para mim é questão de obrigação, ainda mais vestindo essa camisa muita pesada. O São Paulo é muito grande para ficar tanto tempo sem títulos. O que eu trago é a inconformidade com essa espera absurda de tempo por títulos. Esse sentimento que quero transmitir, focado e com certeza esse sentimento já é de grande valia. Aqui no São Paulo só está bem se está ganhando. Temos de estar inconformados até levantar um troféu e fazer campanhas dignas – disse Hernanes.

 
 

O São Paulo pagará 3 milhões de euros (R$ 13,2 milhões) por Hernanes, com um contrato válido até dezembro de 2021.

– Fico muito satisfeito com todo projeto, pois eu retorno com essa grande vontade de conquistar títulos, de pendurar mais quadros no CT da Barra Funda. Estou muito motivado. O grupo tem muita qualidade. O projeto é grandioso e estou apto para ser encaixado nele. Tudo está sendo bem planejado e pensado. A tendência é que dê certo e a gente possa colher os frutos – disse Hernanes.

Revelado pelo São Paulo, Hernanes volta para sua terceira passagem pelo Morumbi. A primeira durou entre 2005 e 2010, quando foi vendido para a Lazio. A segunda foi no segundo semestre de 2017, quando comandou a campanha contra o rebaixamento no Brasileirão e foi emprestado pelo Hebei Fortune. O clube da China exigiu sua volta ao final daquele ano.

Veja as palavras dos dirigentes e outros trechos da entrevista de Hernanes:

Pronunciamento de Hernanes

– Muita gratidão pelo São Paulo ao Raí, Leco, Pássaro e todo torcedor. É difícil fazer um post no instagram, porque só falavam "volta, Profeta". Isso com certeza é motivo de muita satisfação. Obrigado ao São Paulo, diretoria e torcida pelo carinho de sempre, pelo esforço que o São Paulo fez. Me sinto honrado por tudo isso. Momento especial, feliz. Dia 7 de janeiro, uma data especial, um momento histórico. Espero que a história esteja apenas na metade e os caminhos sejam felizes.

Diferença da primeira para a segunda volta ao São Paulo

– Gosto das duas coisas. Quando as coissas não são planejadas, instintivas, impulsionadas por um momento, são prazerosas. A situação do ano passado foi de emergência, não de planejamento, aconteceu de receber contato e em poucos dias foi decidida a minha volta. Deu muito certo, foi emocionante e contagiante. Agora tivemos tempo de planejar, pois desde que fui há um ano sempre nos mantivemos em contato. Foi algo planejado e chegar agora nesse momento com condição de preparar tudo, de estar desde o começo sabendo do projeto do clube de voltar a ser uma potência de títulos. Fico muito satisfeito com todo projeto, pois eu retorno com essa grande vontade de conquistar títulos, de pendurar mais quadros no CT da Barra Funda. Estou muito motivado. O grupo tem muita qualidade. O projeto é grandioso e estou apto para ser encaixado nele. Tudo está sendo bem planejado e pensado. A tendência é que dê certo e a gente possa colher os frutos.

Patamar do elenco

– Com certeza. Esse é o projeto do clube quando faz investimentos como fez, trazendo e mantendo jogadores. A gente vê o salto que foi dado, um salto grandioso. Em 2017 lutou por uma coisa, em 2018 o clube se reformulou e fez ótima campanha. Tanto que voltamos para a Libertadores este ano. Natural e normal que mantendo a qualidade e trazendo outros nomes importantes, a tendência é que outro salto aconteça.

Você se sente ídolo do São Paulo?

– Sim, porque o carinho que eu recebo, as palavras que o torcedor fala para mim, não tem como eu não sentir que faço parte da história vitoriosa de um clube gigante.

Time do São Paulo campeão no passado e agora no jejum

– Eu acho que a coisa mais importante é a qualidade dos jogadores. Não tem como ser campeão sem ter matéria prima de qualidade. Naquele time vencedor, era muita qualidade. Por isso também que estou esperançoso, porque vejo qualidade no grupo. Temos condições de brigar. E isso me conforta. Não tem magia.

Como fazer para o inconformismo não virar pressão?

– A pressão tem de existir. Ela existe mesmo. E ela é boa. Quando a gente estuda química entende que se muda a pressão algumas equações não acontecem. Num clube como o São Paulo tem de existir pressão mesmo. Os jogadores que estão aqui estão acostumados a lidar com a pressão e dar o melhor de si

Como foi o monitoramento até a volta ao São Paulo?

– Na verdade, sempre em contato com o Alê (Pássaro, gerente executivo de futebol). O cara que conversava mais. Para ser sincero, eu não acreditava que fosse acontecer nesse momento, nesse ano de 2019. Mas sempre dando a disponibilidade que, se fosse viável, pois tinha contrato em vigor, seria um prazer retornar à minha casa. Nunca perdemos o contato e deu tempo de planejar e acertar todas as coisas com muita calma. Esse tempo foi importante para alinhar tudo e chegasse em janeiro tudo resolvido. Foi aos poucos.

Qual profecia você faz para o São Paulo nesse ano?

– Quando a gente é mais jovem, a gente é muito sonhador. O sonho vem antes de qualquer coisa. A gente trilhou alguns caminhos, aprendeu alguns caminhos, sabe que o sonho é importante, mas mais do que o sonho é o planejamento, a dedicação que vamos ter com o dia a dia com o trabalho, com a plantação. Sempre digo que temos de pensar muito mais no momento de plantar pois a colheita é natural, vem como consequência do que tu plantou. Profecia não vem por vontade humana. Vem por inspiração e no momento certo os momentos proféticos irão acontecer.

Presidente Leco

– Nós vivemos hoje um momento excepcional, pela razão de reapresentar essa figura tão querida de toda comunidade são-paulina e de estarmos fora dos nossos domínios. Estamos em Orlando, mas a possibilidade é muito rica e emocionante. Há um ano, quando Raí chegou ao São Paulo, me deu a má notícia de que hernanes estava voltando à China depois de um período empréstimo importantíssimo. Foi um grande desalento e grande tristeza. Hoje Raí vai poder falar sobre isso, porque agora o Hernanes, ou Profeta, estará definitivamente com ele. É com muita alegria que estou participando deste momento histórico da vida do São Paulo, que faz parte do projeto ambicioso de levar ao patamar de grandeza.

Diretor executivo de futebol Raí

– Hernanes representa muita coisa. Logo no início tive que dar essa má notícia, mesmo tentando de tudo. Falei com treinador do Hernanes, vários representantes tentando a permanência no São Paulo. Foi um momento difícil para o São Paulo, mas em nenhum momento o Hernanes deixou de alma o São Paulo, e também por contatos. O Pássaro tem uma relação próxima com Hernanes, sempre houve contato. Nesse período que teve de se afastar do São Paulo para jogar na China sempre houve contato e temos de agradecer a vontade do Hernanes. Ele sempre viu essa possibilidade de um novo momento do São Paulo com bons olhos e alegria. Foi importantíssimo para essa volta. Estamos muito felizes e contentes. Obviamente, o Hernanes representa muito em postura, liderança e identificação, como ídolo que é da torcida do São Paulo.