Falta de combustível para aviões prejudica agronegócio em MS

MS tem uma das maiores frotas da aviação geral e é um dos estados mais prejudicados com a escassez.

MS tem grande número de aviões que fazem pulverização de defensivos nas lavouras - - Foto: Reprodução

Uma carga de gasolina de aviação (avgas) importada, com previsão para chegar nesta semana, pode amenizar problema que vem prejudicando a aviação agrícola e também a circulação de pequenas aeronaves. Mato Grosso do Sul, que tem uma das maiores frotas da aviação geral, e também um grande número de aviões que fazem pulverização de defensivos nas lavouras, é um dos estados mais prejudicados com a escassez. 

Na semana passada, o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) enviou ofício à direção da Petrobras solicitando informações e cobrando providências para a falta de avgas verificada desde dezembro em distribuidoras de todo o País. A estatal de petróleo, na última quinta-feira (10), informou que o abastecimento de gasolina de aviação seria normalizado nesta semana com a chegada de uma carga importada. O motivo da escassez do combustível é que a produção na Refinaria Presidente Bernardes-Cubatão (RPBC) foi interrompida para manutenção da unidade. A planta é a única no País que produz o combustível. 

O Brasil tem 2,1 mil aviões agrícolas, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). É a segunda maior frota do mundo.