Na abertura da Showtec, Reinaldo critica excesso de burocracia que trava produção

Para o gestor, um dos caminhos é a simplificação da relação entre o poder público e os produtores rurais.

Na abertura da Showtec, Reinaldo critica excesso de burocracia que trava produção - Fotos: Chico Ribeiro

O governador Reinaldo Azambuja defendeu o fim da burocracia que impede o desenvolvimento do setor produtivo brasileiro, ao discursar nesta quarta-feira (16) no lançamento da 24ª edição do Showtec, em Maracaju,

“O setor agropecuário tem papel fundamental na economia do País. Cabem aos governos a obrigação de diminuir os entraves e amarras que atrapalham o setor produtivo”, afirmou ele na abertura da feira tecnológica que reúne expositores nacionais.

Para o gestor, um dos caminhos é a simplificação da relação entre o poder público e os produtores rurais. Outro, é a ampliação de investimentos em logística e competitividade. “O Brasil deve muito nessa área a quem produz, aos setores agropecuário e industrial”, avaliou.

“Com pesquisa, segurança jurídica e produtividade, nós temos condições de ser um país que cada vez mais vai ocupar mercado. O Brasil crescendo, cresce a economia para todos”, afirmou o governador.

O Secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Fernando Camargo, representou a ministra Tereza Cristina no evento e destacou que o Brasil é um dos principais produtores de alimentos do mundo.

“E nos próximos 10 anos, o mundo precisará de um aumento de 20% no fornecimento de alimento. Para cumprir essa meta, o Brasil precisa aumentar em 40% a produtividade.  Só vamos conseguir isso com inovação e novas tecnologias”, disse ele se referindo ao Showtec.

Há 24 anos Showtec expões novas tecnologias que contribuem para o aumento da produtividade do campo.

R$ 1,6 milhão para pesquisa

Ainda no Showtec, o governador Reinaldo Azambuja autorizou o repasse de R$ 1,6 milhão para o desenvolvimento da pesquisa científica “Validação de Tecnologias para as Culturas de Soja e Milho, no Estado de Mato Grosso do Sul”. O projeto foi apresentado pelo Fundo para Desenvolvimento das Culturas para o Milho e para a Soja (Fundems), com apoio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect).