PM prende mulher que gerenciava boca de fumo que seria do PCC

No local os policiais apreenderam dois adolescentes, ambos usuários de drogas, que atuavam na venda e distribuição.

Maria Abadia da Silva, 51 anos, conhecida por Tia Maria - Foto: Divulgação/PM

A Polícia Militar prendeu nesta madrugada uma mulher de 51 anos, a “Tia Maria”, que atuava como gerente de uma boca de fumo, supostamente controlada pelo PCC, numa casa azul na Rua Napoleão Ferreira Ribeiro, 1156. No local os policiais apreenderam dois adolescentes, ambos usuários de drogas, que atuavam na venda e distribuição de drogas.

Maria Abadia da Silva, quando percebeu a aproximação da viatura fugiu e tentou se esconder numa outra casa abandonada na Oscar Pereira de Brito. Os policiais chegaram até ela a partir da denúncia que receberam quando passavam perto da Praça do Triângulo, na Rua Tomás da Silva França

Antes da prisão da “Tia Maria”, os policiais foram checar a informação que na Rua Napoleão Ferreira Ribeiro, no Jardim Paraíso, um rapaz conhecido como "Legião", estaria armado para atacar policiais. Com base nas informações repassadas, a guarnição localizou o suspeito na esquina das Ruas Norival Lopes com Napoleão Ferreira. Ele saiu correndo e jogou fora o celular.

Acabou sendo alcançado, resistiu à prisão, mas acabou dominado. Foi identificado como Wellington Prado, 25 anos. Ele levava no bolso da bermuda cinco porções de droga que ele estaria levando para entregar a “fregueses” que encomendaram de Maikon Marcon Origo, dono do entorpecente que por meio de mensagem de WhatsApp determinou a entrega da droga na Rua Napoleão Ferreira 1156, onde haveria mais droga enterrada no quintal.

No endereço os policiais localizaram dois adolescentes de 17 anos, que tinham porções de maconha nos bolsos. Eles admitiram que são usuários de drogas e estavam tomando conta do local a pedido da proprietária, a Tia Maria. Os policiais fizeram uma varredura no quintal e encontraram mais porções de drogas enterrada.

Saindo de lá, passando na Praça do Triângulo a guarnição recebeu a informação que possibilitou a prisão de Maria Abadia na Rua Oscar Pereira.