Colocado em liberdade, autor de esfaqueamento procura a família para saber se a vítima já tinha morrido

Cleiton foi levado em estado grave na vaga zero para Campo Grande

Robson Ramires, 36 anos - Foto: Divulgação/PM

Colocado em liberdade, poucas horas após ser preso pela Polícia Militar, Robson Ramires, 36 anos,  foi procurar a família do tratorista Cleiton do Amaral, 37 anos . para saber se ele  estava vivo. No meio da tarde de sábado ele desferiu três golpes de faca que feriram  Cleiton no braço esquerdo, tórax e barriga.  Por volta das 22 horas o suspeito esteve na casa da vítima, na Rua Evaristo Roberto Ferreira, para perguntar se ele  tinha sobrevivdo a tentativa de homicídio. 

Cleiton foi levado em estado grave na vaga zero para Campo Grande. Foi submetido a cirurgia na madrugada de domingo que só terminou por volta das 5 horas. Por uma questão de centímetros, as facadas na barriga no peito e no abdômen, não atingiram órgãos vitais (o coração, nem perfurou o intestino). Os médicos acreditam que nesta segunda-feira à tarde ele deixe o CTI.

Robson mora na Rua Tomas da Silva França a três quadras da casa de Cleiton. Os dois teriam se encontrado no Bar do Mariano, que fica nas redondezas. Na versão dos familiares da vítima, ele teria tentado matar o tratorista porque ele teria se negado a emprestar R$ 20,00 para o suspeito comprar drogas.

Robsão, como é conhecido, foi preso pela Polícia Militar, confessou o crime, alegou legitima defesa porque o teria agredido com um soco rosto. Foi levado para a delegacia, mas acabou sendo colocado em liberdade. A faca usada na tentativa de homicídio não foi localizada.