PSG diz que Neymar fará tratamento conservador e prevê volta aos campos em 10 semanas

Clube não fala em cirurgia, mas operação não está totalmente descartada.

- Foto: Reuters

A lesão no pé direito sofrida por Neymar há uma semana deixará o craque afastado dos gramados por mais de dois meses. O PSG anunciou nesta quarta-feira, em nota oficial, que o astro brasileiro passará por tratamento conservador para corrigir a fratura no quinto metatarso do pé direito, sem falar na possibilidade de cirurgia. Segundo o clube, o atacante só deve estar apto a jogar daqui a 10 semanas (dois meses e meio), podendo retornar aos campos no meio de abril.

De acordo com o comunicado divulgado pelo PSG, o grupo de médicos especialistas reunidos pelo clube - incluindo Rodrigo Lasmar, médico da seleção brasileira, que operou o jogador no ano passado - chegou à conclusão de que um "tratamento conservador" seria a melhor opção. Não haverá intervenção cirúrgica no momento, mas esta possibilidade não está totalmente descartada - tudo dependerá do processo de cicatrização.

- Chegou-se a um consenso para propor a Neymar Jr. tratamento conservador de sua lesão no quinto metatarso direito. Informado desta recomendação, o atacante internacional brasileiro do Paris Saint-Germain estava em total concordância com o protocolo. Como resultado, o retorno às terras de Neymar Jr. é esperado dentro de 10 semanas - diz a nota.

O clube também fez questão, no comunicado, de "mostrar ao jogador todo seu carinho apoio mais forte e incentivo para superar a lesão, com a coragem e a determinação que sempre demonstrou".

Disponível para a Copa América

Desta forma, Neymar só poderia retornar aos gramados a partir da 32ª rodada do Campeonato Francês, marcada para 13 de abril. Na Liga dos Campeões, o brasileiro certamente ficará fora das oitavas de final e provavelmente da primeira partida de uma possível quarta de final, marcada para a segunda semana de abril. No jogo de volta, que deve ocorrer uma semana depois, sua presença ficaria em aberto.

A boa notícia fica para a seleção brasileira, que, apesar de não poder contar com o camisa 10 nos primeiros amistosos de 2019, em março, deve ter Neymar a disputa da Copa América, que começará em 14 de junho. O técnico Tite e o coordenador Edu Gaspar - que acompanhavam a partida em que o astro se machucou - evitaram falar de um possível planejamento, antes de conhecer o tempo de recuperação.

A lesão

Neymar sofreu a lesão na reta final da vitória sobre o Strasbourg, quando deixou o campo com dores no pé direito. Na sequência, foi constatada uma nova fratura no quinto metatarso, local no qual o jogador havia sofrido, há cerca de um ano, lesão grave - que o deixou parado por mais de três meses. Naquela ocasião, Neymar passou por uma cirurgia comandada pelo médico Rodrigo Lasmar e se recuperou no Brasil.

A lesão atual é menos grave do que a sofrida em 2018 e, por isso, os médicos optaram por, no momento, não realizar cirurgia. Neymar já vinha realizando fisioterapia nos últimos dias, iniciando o processo de recuperação - e o planejamento inicial, inclusive, apontava que uma decisão sobre tratamento cirúrgico só seria tomada a partir de sábado.