Ramiro ganha primeira chance na ponta e analisa funções no Corinthians

Em campo, ele assegura não ter problema em desempenhar qualquer função pedida por Carille.

- Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Após atuar por duas vezes como segundo volante no Corinthians e ver o time empatar em casa com o São Caetano e perder para o Guarani em Campinas, o meio-campista Ramiro vai ganhar sua primeira chance como ponta direita nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), na Arena, pela quarta rodada do Paulista. Será uma chance de ver o jogador no local em que ele ganhou fama e atingiu seu grande nível de performance com a camisa do Grêmio.

Apresentado como uma das principais contratações para a temporada após dois anos e meio jogando na ponta direita do Grêmio, ainda que com uma função bem mais defensiva do que a mais criativa que caracteriza o setor, Ramiro explicou à Gazeta Esportiva como tenta se adaptar ao cotidiano no novo clube. Em campo, ele assegura não ter problema em desempenhar qualquer função pedida por Carille.

“A gente teve uma conversa logo que eu cheguei, particular, onde ele (Carille) me perguntou e me expôs qual era a ideia dele para mim no grupo”, disse o jogador em parte da conversa com a reportagem na última terça-feira, no CT, momentos antes de saber que formaria trio ofensivo com Mateus Vital e Jadson nesta quarta.

“O Carille perguntou se eu tinha preferência por posição, deixei bem claro que eu estava aqui para ajudar. Fosse como meia aberto, como volante, primeiro volante ou até mesmo lateral. Estou aqui à disposição para ajudar”, avaliou Ramiro, que deixa o mais congestionado meio e vira uma alternativa quase única pelos lados, já que Romero, nome de característica semelhante, não vai renovar seu contrato com o clube.

Uma das apostas de Carille pela versatilidade e pelo bom entendimento da parte tática, Ramiro ainda fez questão de tecer elogios à forma de trabalho do comandante. Para ele, todos sabem exatamente o que o técnico corintiano quer desde o primeiro dia de treino.

“Ele tem uma ideia de trabalho, uma proposta tanto do dia a dia quanto dos jogos já bem estabelecida. Isso a gente vai trabalhando de forma coletiva com todo o pessoal que está chegando, com quem estava aqui, mas uma ideia já consolidada que a gente vai aprimorando”, concluiu Ramiro.