Com corte no orçamento, estudantes vão pagar até 45% do custo do transporte

O orçamento de R$ 850 mil fixado no edital é menor que a dotação prevista no orçamento da Prefeitura (R$ 1 milhão).

Com corte no orçamento, estudantes vão pagar até 45% do custo do transporte - Foto: Marcos Tomé/Região News

A Prefeitura de Sidrolândia divulga nesta sexta-feira, dia 8, a relação dos beneficiários com a subvenção do transporte universitário que neste ano tem um teto de gasto de R$ 850 mil, corte de 54% em relação ao valor gasto em 2018, R$ 1.576.200,00, que ainda não foi integralmente quitado.

Se inscreveram para o benefício, 462 acadêmicos e numa projeção preliminar, tomando como base o custo mensal por aluno do ano passado (R$ 340,00), o orçamento previsto no edital de inscrição, não haverá gratuidade e alguns alunos, aqueles com renda familiar de até três salários mínimos, receberão uma subvenção de R$ 183,98 e terá de desembolsar mais 45,81% (R$ 176,02).

O orçamento de R$ 850 mil fixado no edital é menor que a dotação prevista no orçamento da Prefeitura (R$ 1 milhão). Com este recurso, seria possível atender com gratuidade 250 acadêmicos, um contingente menor que de 2018 (que fechou com 393 alunos beneficiados) e deixaria de fora de imediato, 212 dos inscritos que se habilitaram para o benefício.  

Ano passado o orçamento do programa extrapolou em 57% a estimativa inicial de despesa (R$ 1 milhão), chegando a R$ 1.576,300. Segundo técnicos que atuam no programa, houve um erro de planejamento, não se computou as despesas com o transporte dos estudantes da zona rural até a cidade (calculado em R$ 240 mil, R$ 24 mil por mês) e optou-se por conceder gratuidade a todos beneficiários. Resultado, a Prefeitura teve dificuldade para pagar o serviço, chegou atrasar três meses e deixou um saldo de R$ 294.640,00 pendente.

Corte no bolsa

Outro programa que terá um substancial corte no orçamento (59%) é a bolsa universitária que também está em fase de seleção. Os recursos disponibilizados para atender o programa caiu de R$ 36 mil para R$ 15 mil por mês, valor que certamente, não vai ser suficiente para atender a mesma quantidade de beneficiários de 2018 (136). O estudante terá como alternativa, buscar o financiamento FIES ou mesmo conseguir uma bolsa do PROUNI.