Prefeitura faz contrato emergencial com a Morhena para coleta de galhos e material descartado

Foi firmado contrato emergencial, com dispensa de licitação, com validade de 6 meses, ao custo mensal de R$ 75.134.

Prefeitura faz contrato emergencial com a Morhena para coleta de galhos e material descartado - Foto: Região News

Desde o início da semana a Morhena Coleta e Engenharia Ambiental (que já é responsável pela coleta de lixo da cidade) assumiu o serviço de coleta e destinação final no aterro sanitário, dos galhos resultantes da poda de árvores, material inservível descartado pela população (sofás, geladeiras, móveis) em frente das casas. Não será feita a remoção de entulho da construção civil, que é responsabilidade de quem gerou, nem haverá limpeza de terrenos baldios.

Foi firmado um contrato emergencial, com dispensa de licitação, com validade de seis meses, ao custo mensal de até R$ 75.134,00. A medida foi adotada diante do lixo acumulado por toda a cidade, embora houvesse duas empresas contratadas para fazer o serviço ao custo de R$ 55 mil por mês.

Sidrolândia enfrenta o risco de uma epidemia de dengue e a medida preventiva mais eficaz é exatamente eliminar focos do mosquito transmissor da doença. Qualquer peça que sirva de recipiente de água, se transforma em ambiente adequado para a proliferação das larvas do Aedes.

Nesta sexta-feira os funcionários e equipamentos da Morhena (três caminhões e uma retroescavadeira adaptada) estão trabalhando na retirada do lixo acumulado no pátio das escolas e centros municipais de educação infantil, que segunda-feira receberão os alunos para o início do ano letivo. Nesta semana, as equipes trabalharam no quadrilátero central (Centro, Carinhosa e Jandaia), e ainda atuarão no Grande Bairro São Bento e região das aldeias indígenas urbanas.

A Morhena vai trabalhar de segunda a sexta-feira, das 7 às 11 e das 13 às17 horas, mas se houver necessidade, a pedido da Prefeitura, serão mobilizadas equipes aos sábados e feriados. O material recolhido está sendo transportado em até 28 viagens de caminhões carregados de galhos e begues cheios de lixo  que são descatados no aterro sanitário.