MAPA projeta redução de mais de R$ 1 bilhão na receita agropecuária de MS em 2019

Dos três principais produtos da agricultura em MS no que se refere ao Valor Bruto de Produção, dois devem sofrer retrações.

Soja deve sofrer uma queda no VBP de 14,62%, de R$ 12,015 bilhões, em 2018 para R$ 10,259 bilhões em 2019 em MS — - Foto: Anderson Viegas/G1 MS

A receita da agropecuária de Mato Grosso do Sul medida pelo Valor Bruto da Produção (VBP) deve cair 3,53% em 2019 frente a 2018, recuando de R$ 32,160 bilhões para R$ 31,025 bilhões, o que representa uma retração de R$ 1,134 bilhão, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O VBP é um indicador da atividade calculado com base nos volumes de produção e preços médios da agricultura e pecuária do estado. Conforme os dados, do Valor Bruto de Produção que o estado deve ter este ano, 65,17% deve vir da agricultura, que deve atingir os R$ 20,219 bilhões, e 34,82% da pecuária, que deve totalizar R$ 10,806 bilhões.

Dos três principais produtos da agricultura em Mato Grosso do Sul, no que se refere ao VBP, dois devem sofrer retrações este ano em relação a temporada passada. A soja, com 14,62%, caindo de R$ 12,015 bilhões para R$ 10,259 bilhões e a cana-de-açúcar, com 5,09%, de R$ 4,486 bilhões para R$ 4,258 bilhões.

Em contrapartida, o milho deve registrar um aumento de 1,518%, de R$ 3,591 bilhões para R$ 4,136 bilhões.

A agricultura sul-mato-grossense como um todo deve sofrer um recuo de 6,55% no Valor Bruto de Produção, que deve cair de R$ 21,635 bilhões para R$ 20,219 bilhões.

Por outro lado, na pecuária a projeção do MAPA é que ocorra um crescimento de receita de 2,67%, com o valor passando de R$ 10,524 bilhões para R$ 10,806 bilhões.

Na criação de bovinos, a estimativa é de um incremento de 1,34%. O VBP deve passar de R$ 7,917 bilhões para R$ 8,024 bilhões. Também está previsto um acréscimo de 1,18%na produção de suínos, de R$ 620,922 milhões para R$ 628,281 milhões e ainda um aumento de 11,19% na de frangos, que deve subir de R$ 1,766 bilhão para R$ 1,964 bilhão.