Garota que matou bebê pede para amamentar a filha e terá apoio psiquiátrico

Ela não teria consciência de que havia matado a bebê sufocada, segundo o delegado.

Delegado Luiz Quirino - Foto: Nova News

A adolescente de 16 anos que matou sua bebê recém-nascida de 21 dias, em Nova Andradina, na última segunda-feira (18) passou por audiência de custódia nesta terça-feira (19), e foi encaminhada para acompanhamento psiquiátrico.

A garota que depois de sair do hospital prestou depoimento nesta terça (19), e teria dito ao delegado Luiz Quirino que precisa voltar para casa para poder amamentar a filha. Ela não teria consciência de que havia matado a bebê sufocada, segundo o delegado.

Durante seu depoimento, a garota estaria em seu estado normal não apresentando alteração em seu estado mental. Após prestar depoimento, ela passou por audiência de custódia.

E a juíza entendeu que em vez de manda-la para a Unei (Unidade Educacional de Internação), a adolescente deveria ser internada em hospital e ter acompanhamento psiquiátrico.

Na última segunda (18), a garota se trancou no quarto de sua casa e deitou em cima da bebê a matando sufocada. A avó da criança foi quem chamou a polícia.

Quando a polícia entrou no quarto a garota teria dito, “Não adianta fazer mais nada, ela já está morta”.