Pietro Fittipaldi celebra primeiras voltas na F1 e tem atuação elogiada

Na sessão matutina desta quarta-feira, o brasileiro terminou na sexta colocação, completando 48 voltas.

Pietro Fittipaldi tem 22 anos - Foto: Haas F1 Team/RF1

Pietro Fittipaldi segue firme na busca pelo seu sonho: correr na Fórmula 1. Nesta terça e quarta-feira, o neto de Emerson pôde sentir um pouquinho do gosto de pilotar na elite do automobilismo ao participar dos testes de pré-temporada em Barcelona.

Na sessão matutina desta quarta-feira, o brasileiro terminou na sexta colocação, completando 48 voltas, e teve seu desempenho elogiado pela Haas.

“Estou muito feliz com essas primeiras experiências com o modelo VF-19 da Haas. Nós testamos várias coisas no carro, ontem foram 13 voltas e hoje foram 48 voltas, portanto estou satisfeito com a quilometragem e também com o feedback que recebi da equipe. O mais importante é que tudo que tentamos nós conseguimos fazer. Foram vários testes, análise de dados da telemetria, então saio bem contente”, destacou Pietro.

“Pietro fez um bom trabalho. Ele foi bem na terça-feira de última hora. Você entra no carro e está frio, ele foi muito maduro, a performance dele foi muito boa. Ele fez exatamente o que precisávamos. Ele sabe o que está fazendo. Pela idade dele, ele já dirigiu muitos carros e isso faz diferença para o piloto. Ele já correu em ovais, pistas de rali. Ele tem um bom entendimento”, exaltou Gunther Steiner, chefe de equipe da Haas.

O melhor tempo do brasileiro nesta manhã foi 1min19s249, ficando muito próximo de seus companheiros de equipes, Romain Grosjean, com 1min19s159, e na terça, Kevin Magunessen, com 1min19s206.

“Os tempos de hoje me deixam confiante para a sequência do trabalho. É claro que ontem e o início das primeiras voltas de hoje foram mais um processo de adaptação, mas logo depois eu já peguei a velocidade do carro e me senti confortável para pisar fundo. Esse é o carro novo que a equipe usará nestas duas semanas de testes, portanto é uma responsabilidade grande já que não temos outro carro caso aconteça algo. Mas um piloto sempre precisa estar preparado para isso, já estive em situações similares e estou me sentindo muito bem no carro”, completou.

“Se tudo der certo na próxima semana e nós não tivermos retrocesso, ele voltará a dirigir. Não consigo prometer nada agora”, completou Steiner.