Implantação do projeto de suinocultura da Alfa que prevê 200 milhões começa em 2020

Só daqui a 13 anos a UPL que a cidade receberá, atingirá a capacidade plena de produção de 350 mil leitões por ano.

Vice-presidente da cooperativa, Cládis Jorge Furlanetto - Foto: Vanderi Tomé/Região News

O projeto da suinocultura que a Cooperalfa vai trazer para Sidrolândia tem cronograma de implantação em quatro etapas, a última em 2032. Só daqui a 13 anos a UPL (Unidade de Produção de Leitões) que a cidade receberá, atingirá a capacidade plena de produção de 350 mil leitões por ano, resultado de R$ 200 milhões em investimento ao longo de mais uma década. Os leitões produzidos aqui serão abatidos em São Gabriel do Oeste no Frigorífico da Aurora.

Os dirigentes da Alfa que estiveram na última sexta-feira (22) na cidade apresentaram um detalhado cronograma dos investimentos, as contrapartidas que serão cobradas do poder público (municipal e estadual), projeções de investimento para cada etapa, geração de emprego e renda, movimentação econômica direta e indireta, além de subprodutos da suinocultura com potencial econômico.

Por exemplo, os dejetos produzidos pelos suínos poderão serão usados para adubar 2.800 hectares num raio de três hectares da área onde for instalada a UPL (Unidade de Produção de Leitão). Lavouras fertilizadas com os dejetos, alcançam uma produção média de 184 sacas de soja, quase 4 vezes mais a produtividade média das lavouras de Sidrolândia.

Quando estiverem alojadas as 11.500 mil matrizes previstas, gerando 155 mil leitões por ano, haverá produção diária de 510 mil litros de dejetos, nutrientes de fertilização avaliados em R$ 1,6 milhão por ano. Outro negócio potencial é a produção de energia e aquecimento da água, a partir do biogás.

Conforme o cronograma, esse ano de 2019 será dedicado a definição da área e dos produtores integrados para a instalação de 100 unidades de engorda dos leitões; licenciamento ambiental, captação de recursos para o investimento. No planejamento de 2020 está a construção da Unidade de Produção de Leitão e da fábrica de ração e em 2022, a UPL começa a funcionar, com alojamento de 2.500 matrizes; elevando para 2.875 matrizes em 2023, chegando em 5.750 nos dois anos seguintes, aumentando gradativamente ano a ano, até chegar em 2032, a 11.500 matrizes, com produção anual de 350 mil leitões de 23 quilos.

Só em 2023 começa a produção de leitões (75 mil por ano) que serão engordados e preparados para abate no Frigorífico da Aurora em São Gabriel do Oeste, em 100 granjas instaladas por produtores integrados ao projeto, num formato parecido com a do frango.

O investimento na estrutura

Conforme as projeções apresentadas pela Alfa, a implantação da Unidade de Produção de Leitões vai exigir um investimento de R$ 75 milhões, sendo R$ 60 milhões numa granja de 55 mil metros quadrados para 10 mil matrizes; R$ 8 milhões para a construção de sete creches de 14,6 mil metros quadrados, com capacidade para 40 mil cabeças.

A fábrica de ração com capacidade para produzir 10 mil toneladas vai custar R$ 10 milhões; R$ 50 milhões na implantação de 22 terminações para 110 mil cabeças e mais R$ 55 milhões para capital giro. Confira a reportagem completa:

Sidrolândia ganha concorrência para receber investimentos da Alfa

Alfa vai investir mais de R$ 200 milhões em Sidrolândia e abre nova matriz econômica na cidade, a suinocultura. Assista.

Publicado por Regiao News em Domingo, 24 de fevereiro de 2019