A verdade dói por Wilson Aquino

A maioria, entretanto, prefere a ilusão de que tudo vai bem, de que tudo é normal e legal.

- Foto: Divulgação

É impressionante como as pessoas têm uma resistência natural muito grande em ouvir e encarar a verdade a seu próprio respeito. Admitir e reconhecer seus erros e defeitos, que fazem parte de seu dia a dia, de seu eu, é um estágio que exige humildade, perseverança e força de vontade de querer mudar. A maioria, entretanto, prefere a ilusão de que tudo vai bem, de que tudo é normal e legal, quando na verdade, vive num mundo de mentiras.

Um grande amigo, cidadão exemplar, de nome Arlindo, pai de 7 filhos e mais de 20 netos e bisnetos, conta, e sua prole confirma, que eles (filhos), desde a infância, preferiam uma surra a que sentarem com o pai para uma “entrevista” onde seriam cobrados e repreendidos pelas suas artes e ações incompatíveis com padrões familiares e espirituais.

Nesses tempos “modernos” onde o mal impera, fazendo com que o certo pareça errado e o errado, certo, as pessoas, jovens principalmente, insistem em trilhar esses caminhos que mais cedo ou mais tarde proporcionam grandes e desastrosas consequências. Cicatrizes que terão que ser carregadas pelo resto da vida. Isto quando as sequelas não forem fatais.

Um outro amigo perdeu recentemente a esposa, suas duas filhas e seu aconchegante e alegre lar porque não admitia a verdade de que estava se tornando um alcoólatra. Ignorava todo tipo de ajuda e até se irava contra aqueles que tentavam alertá-lo, ajuda-lo a enxergar o caminho que seguia com aquele vício diário e inevitável de ingerir a maldita bebida. Não percebeu que a cada dose que tomava, para mais longe da família seguia.

Por que será que o ser humano é tão teimoso e insistente em percorrer caminhos tortuosos? Caminhos que não o levarão a lugar algum ou a nenhum lugar saudável, produtivo e alegre.

Quando encaramos e admitimos a verdade sobre nós mesmos, relacionada às nossas fraquezas, nossos vícios, nosso envolvimento com as coisas erradas, ilegais, ilícitas, nos colocamos a um passo de ganharmos forças para nos sobressairmos a essas armadilhas e abismos para passarmos a seguir o grande e desejado destino: o caminho da verdade! O caminho da salvação.

A teimosia também cega o homem para não acreditar na maior das verdades: A verdade sobre a existência de Deus, Senhor de todas as coisas, Criador dos céus e da Terra e do próprio homem.

E a verdade, que mais cedo ou mais tarde eclodirá do coração de cada um é de que na Divindade são três personagens distintas e que estão para nos ajudar: Deus, seu filho, Jesus Cristo e o Espírito Santo.

Deus, o Pai, é o Supremo Governante do universo. Ele é Onipotente (todo poderoso), Onisciente (possui todo o conhecimento) e Onipresente (está presente em todas as coisas) por intermédio do Espírito.

Jesus Cristo é o Unigênito do Pai na carne. Ele é Jeová e foi preordenado para sua grande missão antes da criação do mundo. Sob a direção do Pai, Jesus criou a Terra e tudo o que nela existe (Jo. 1:3; 14). Como parte do plano de salvação da humanidade, Jesus nasceu de Maria em Belém, viveu sem pecado e fez uma expiação perfeita pelos pecados de toda a humanidade, derramando o seu sangue e entregando a vida na cruz. Levantou-se dos mortos, assegurando assim a ressureição da humanidade. Em virtude da expiação e ressureição de Jesus, todos os que se arrependerem de seus pecados e guardarem os mandamentos de Deus podem viver eternamente com Jesus e o Pai.

São verdades que nos fortalecem e nos dão ânimo para continuarmos a vida, vivendo-a da melhor maneira possível, amando o Senhor acima de todas as coisas e o nosso próximo como a nós mesmos.

Quanta beleza e poder nessas verdades que nos libertam verdadeiramente de todos os vícios, fraquezas, amarras e mazelas. Nos dão forças para trilhar firmes e fortes o caminho.

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Quão bela promessa Ele nos dá em João 8:32. Amemos a verdade! Sempre.

 

*Jornalista e Professor