Prestes a atingir marca histórica, Cássio agradece Corinthians: “Privilegiado”

Com o goleiro, o time comandado por Fábio Carille fará um último treinamento, já em solo argentino, nesta terça-feira.

- Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Nesta quarta-feira, o Corinthians definirá boa parte de suas ambições na temporada viajando para a Argentina a fim de medir forças com o Racing, pela partida de volta da Copa Sul-Americana. E o duelo, crucial para todo o time, terá um gosto especial para Cássio, que completará 395 jogos com a camisa do Alvinegro do Parque São Jorge, se tornando o segundo maior no quesito, atrás apenas de Ronaldo Giovanelli.

Prestes a atingir a marca histórica e se igualar a Gymar dos Santos Neves, o camisa 12 revelou que não esperava escrever a história no clube da forma como aconteceu. Ao mesmo tempo, se afastou de qualquer projeção para superar a marca de Ronaldo, que atuou 602 vezes com a camisa do Corinthians. 

“Não imaginava. Muitas vezes falei que nem nos meus melhores sonhos poderia imaginar tudo o que aconteceu comigo. Mas eu trabalhei e vou seguir trabalhando para melhorar minhas marcas e meus números, porque isso é coisa do dia a dia. Não adianta a gente fazer projeções e foi assim que eu cheguei nessa marca. Sempre pensei jogo a jogo, fazendo o meu melhor, para ajudar o Corinthians”, disse Cássio à Espn.

“Acredito que dá para chegar no Ronaldo. Mas não adianta a gente projetar. Claro que somos movidos por desafios, por metas, por quebrar barreiras, mas tenho que pensar em fazer um bom ano, jogo a jogo. Com essa mentalidade cheguei quase a 400, então quem sabe…”, comentou

Dono de defesas históricas e atuações marcantes com a camisa do Alvinegro, Cássio fez questão de agradecer ao Corinthians a oportunidade de realizar tantos jogos e permanecer por tanto tempo como dono da meta. O goleiro, ainda, se disse uma pessoa privilegiada e aproveitou para citar os dois momentos que mais marcaram sua passagem pelo clube do Parque São Jorge.

“Me sinto privilegiado de estar chegando nesses números pelo Corinthians. Na minha opinião, por tudo o que rodeia, o maior time do Brasil. Então me sinto muito feliz de estar nesse grupo seleto de jogadores que atingiram essa marca histórica”, enalteceu o goleiro.

“O primeiro jogo como titular é muito marcante para qualquer goleiro. O meu foi contra o Emelec, nas eliminatórias (primeira fase) da Libertadores de 2012. Mas todo mundo lembra da defesa contra o Vasco, no lance do Diego Souza. Esses dois lances marcaram, com certeza, minha história no Corinthians”, finalizou Cássio.

Com o goleiro, o time comandado por Fábio Carille fará um último treinamento, já em solo argentino, nesta terça-feira. Por ter empatado o jogo de ida por 1 a 1 em São Paulo, o Timão precisa ao menos marcar um gol para ter chance de classificação. Um no empate pelo placar do primeiro jogo leva a decisão aos pênaltis, enquanto empates por 2 ou mais gols dão a vaga ao Timão. 0 a 0 deixa a classificação na mão dos argentinos.